Fatores de risco para doenças sexualmente transmissíveis em profissionais do sexo do interior piauiense

Jardeliny Corrêa da Penha, Caroline Batista de Queiroz Aquino, Érica de Alencar Rodrigues Neri, Thaís Gomes Oliveira dos Reis, Priscila de Souza Aquino, Ana Karina Bezerra Pinheiro

Resumo


Objetivo : Identificar os fatores de risco para doenças sexualmente transmissíveis em profissionais do sexo e verificar a associaçãoentre uso do preservativo masculino pelo parceiro e pelo cliente e as características dessas mulheres.
Método: Estudo transversal e correlacional, realizado com 73 profissionais do sexo cadastradas na Associação das Profissionais do Sexo do Município de Picos-PI. Para coleta de dados, em setembro e outubro de 2010, utilizou-se formulário contendo questões sociodemográficas e de história de prostituição. Os aspectos éticos foram respeitados.
Resultados: A maioria das variáveis sociodemográficas e da história de prostituição não apresentou associação significativa com o uso de preservativo masculino pelo parceiro ou cliente. Entretanto, o tempo de prostituição mostrou associação significativa (p=0,029). Profissionais do sexo com mais tempo de prostituição adotam o preservativo para proteção contra doenças sexualmente transmissíveis.
Conclusão: É fundamental o desenvolvimento de estratégias direcionadas à realidade vivenciada por elas, com vistas à promoção
da saúde das mesmas.


Palavras-chave


Prostituição; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Enfermagem

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447