(Des)motivação da puérpera para praticar o método mãe-canguru

Gisele Perin Guimarães, Marisa Monticelli

Resumo


Esta reflexão tem como objetivos contextualizar o desenvolvimento do Método Mãe-Canguru na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital público e refletir sobre as possíveis justificativas para o fato de algumas mulheres/mães não parecerem estimuladas a manter contato pele-a-pele com seus filhos prematuros. A metodologia compreendeu três passos: problematização da realidade, pesquisa bibliográfica e reflexão sistemática com vistas à superação do problema levantado. Percebeu-se que há necessidade de modificação da percepção da equipe neonatal a respeito do vínculo mãe/recém-nascido, no sentido de compreender que as reações apresentadas pela puérpera diferem, muitas vezes, daquelas esperadas pelos próprios profissionais.

Palavras-chave


Relações profissional-família; Prematuro; Enfermagem neonatal

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447