Atenção à saúde da mulher após os 50 anos: vulnerabilidade programática na Estratégia Saúde da Família

Kelly Karine Pasqual, Maria Antonieta de Barros Leite Carvalhaes, Cristina Maria Garcia de Lima Parada

Resumo


Objetivo: Avaliar o processo de atenção prestada a mulheres, a partir dos 50 anos de idade, em Unidade de Saúde da Família, tomando-se como referência o conceito de vulnerabilidade programática.
Método: Estudo inserido no campo da avaliação de programas de saúde; utilizou-se o referencial proposto por Donabediam, sendo analisados 90.5% dos 790 prontuários de mulheres matriculadas na Unidade.
Resultados: Observou-se que nenhuma mulher sem patologia diagnosticada realizou consultas e exames preconizados. Do total de hipertensas e diabéticas, 20.7% estavam inscritas no Programa Hiperdia e menos de 1.0% tinha realizado as consultas e exames necessários. Apenas 11.9% das mulheres tinham realizado exame ginecológico, exame clínico das mamas e mamografia, no ano que antecedeu a coleta de dados.
Conclusão: Conclui-se que as mulheres com mais de 50 anos estão em situação de vulnerabilidade programática, relacionada aos indicadores definidos neste estudo. Logo, conhecer a realidade poderá resultar no atendimento de enfermagem mais adequado para
esse grupo.


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Saúde da Mulher; Avaliação de Programas e Projetos de Saúde

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447