Fatores associados ao tempo de ventilação mecânica no pós-operatório de cirurgia cardíaca

Laura Fonseca, Fernando Nataniel Vieira, Karina de Oliveira Azzolin

Resumo


Nosso objetivo foi identificar fatores associados ao tempo de ventilação mecânica (VM) no pós-operatório de cirurgia cardíaca e verificar associação entre tempo de entubação endotraqueal, tempo de internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e hospitalar. Estudo longitudinal, retrospectivo com 116 prontuários de adultos submetidos à cirurgia cardíaca no período de março 2012 a maio 2013. A média de idade foi 57±14 anos; houve predomínio do sexo masculino e de cirurgia de revascularização do miocárdio (52,6%). O tempo VM foi 15,25 (7,66-23,68) horas. Foram relacionadas com maior tempo em VM a idade (r=0,5; p<0,001), comorbidades (r=0,344; p<0,001), tempo de circulação extracorpórea (r=0,244; p=0,008), tempo de sedação contínua (r=0,607; p<0,001), doses sedativas (r=0,4; p<0,001), tempo de vasoconstritores e vasodilatadores (r=0,711; p<0,001; r=0,368; p<0,001), drenagem da 1ª hora (r=0,201; p<0,031), permanência dos drenos (r=0,445; p<0,001), complicações do pós-operatório (r=0,524; p<0,001) e permanência hospitalar. Nossos dados confirmam que tanto variáveis pré, trans e pós-operatórias prolongam o tempo de VM e, consequentemente, a permanência hospitalar. 

Descritores: Cirurgia torácica. Extubação. Respiração artifi cial. Complicações pós-operatórias. Enfermagem perioperatória.


Palavras-chave


Cirurgia Torácica, Extubação, Respiração artificial, Complicações pós-operatórias

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447