Fatores associados ao risco de transtornos alimentares entre acadêmicos da área de saúde

CARLOS REEVES RODRIGUES SILVA JÚNIOR, JEUDI AGUIAR DOS REIS, Lucinéia de Pinho

Resumo


O objetivo deste estudo foi identifi car fatores associados ao risco de transtornos alimentares entre acadêmicos da área de saúde. Trata-se de um estudo transversal, quantitativo e descritivo, realizado em Montes Claros, MG, Brasil, no período de agosto a outubro de 2012. Foi identifi cado o perfi l dos universitários e aplicado o Teste de Atitudes Alimentares (EAT-26). Participaram 200 universitários com idade de 23,4 ± 6,13 anos, sendo 76,5% do sexo feminino. Observou-se que 4,0% apresentaram alto risco de desenvolverem transtornos alimentares, 21,0% baixo risco e 75,0% não apresentaram risco. As variáveis “percepção do corpo inadequada”, “prática de dieta”, “ausência do café da manhã” e “lanches nos intervalos” foram associadas com fatores de risco de transtorno alimentar (p<0,05). A prevalência de fatores de risco para transtorno alimentar foi de 34,4% nos universitários que apresentaram o estado nutricional inadequado (p=0,004). O alto risco de desenvolvimento de transtornos alimentares entre estudantes em condição nutricional deficiente indica que os mesmos deveriam receber aconselhamento nutricional preventivo.


Descritores: Transtornos da alimentação. Comportamento alimentar. Estudantes de ciências da saúde.


Palavras-chave


Transtornos alimentares; Comportamento alimentar; Estudantes de ciências da saúde

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447