ESTADO DE SAÚDE PERCEBIDO E ADESÃO FARMACOLÓGICA EM PACIENTES SUBMETIDOS À INTERVENÇÃO CORONÁRIA PERCUTÂNEA

Mariana Coelho, Eliana de Cássia Arantes Costa, Vitor César Richter, Carina Aparecida Marosti Dessotte, Marcia Aparecida Ciol, André Schmidt, Rosana Aparecida Spadoti Dantas, Lídia Aparecida Rossi, Rejane Kiyomi Furuya

Resumo


Os objetivos foram avaliar o estado de saúde percebido e a adesão farmacológica, e verificar a correlação entre essas
medidas em pacientes submetidos à intervenção coronária percutânea, após alta hospitalar. Trata-se de estudo
transversal realizado no período de maio de 2011 a julho de 2012. Utilizaram-se os instrumentos SF-36 e Medida
de Adesão aos Tratamentos, com 101 pacientes. Destes, 54 (53,5%) eram homens, a idade média era 59,5±10,3 e
32 (32,7%) haviam passado por tratamento cardíaco prévio. Todos utilizavam medicamentos anti-hipertensivos;
99 (98%) utilizavam antiagregantes plaquetários; 98 (97%), redutores de colesterol e 59 (58,4%), vasodilatadores
coronarianos. A média do número de medicamentos utilizados foi 6,8±2,1. A adesão farmacológica foi verificada em 98 (97%) pacientes. Os participantes apresentaram melhor estado de saúde nos componentes “Aspectos sociais” e “Capacidade funcional”. Constataram-se correlações positivas e de moderada magnitude entre as medidas de adesão e “Capacidade funcional”, “Estado geral de saúde” e “Aspectos sociais”. Houve correlação entre adesão farmacológica e estado de saúde percebido.


Palavras-chave


Qualidade de Vida; Adesão à Medicação; Angioplastia.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447