ACEITAÇÃO DA PESSOA COM TRANSTORNO MENTAL NA PERSPECTIVA DOS FAMILIARES

Jéssica Batistela Vicente, Pâmela Patricia Marino, Aline Aparecida Buriola, Marcelle Paiano, Sonia Silva Marcon, Maria Angélica Pagliarini Waidman

Resumo


Neste estudo descritivo, de natureza qualitativa, realizado junto a 10 familiares de pessoas com transtorno mental egressas da emergência psiquiátrica do Hospital Municipal de Maringá - PR, o objetivo é apreender de que modo é percebida a aceitação da pessoa com transtorno mental na família e na comunidade. Os dados, coletados no período de outubro a dezembro de 2010, em entrevista aberta, foram submetidos à análise de conteúdo, modalidade temática, da qual resultaram três categorias: “Cuidar, uma necessidade constante”, “Convivendo com a pessoa com
transtorno mental: um turbilhão de sentimentos”, “Um muro construído com estigma e preconceito: necessidade de desconstrução”. Conclui-se que a compreensão sobre a doença é essencial para aceitá-la e aceitar ao doente, e o profissional de saúde precisa estar próximo à família, dando-lhe suporte, esclarecendo dúvidas relacionadas à doença,
e apoiando-a para que enfrente as dificuldades que emergirem no cotidiano.


Palavras-chave


Família; Saúde Mental; Enfermagem.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447