ESTRESSE NO TRABALHO EM AGENTES DOS CENTROS DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO DO RIO GRANDE DO SUL

Patrícia Bitencourt Toscani Greco, Tânia Solange Bosi de Souza Magnago, Carmem Lúcia Colomé Beck, Janete de Souza Urbanetto, Andrea Prochnow

Resumo


Estudo que teve por objetivo verificar a associação entre estresse no trabalho, características sociodemográficas, laborais, hábitos e condições de saúde dos agentes socioeducadores do Rio Grande do Sul, Brasil. Trata-se de um estudo transversal com 381 agentes dos Centros de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul. Utilizou-se a versão brasileira da Job Stress Scale, para avaliação do estresse no trabalho. Foram classificados, em situação de alta exigência no trabalho, 19,2% dos agentes. Mostraram-se associados ao estresse no trabalho: necessidade de acompanhamento psicológico, falta de tempo para lazer, turno diurno de trabalho, insatisfação com o local de trabalho, necessidade de afastamento do trabalho, por problemas de saúde, e escala de trabalho insuficiente. Há necessidade de buscar melhores condições de trabalho e a efetivação de um Serviço de Saúde do Trabalhador atuante, no sentido de minimizar os efeitos das demandas psicológicas no trabalho do agente socioeducador.


Palavras-chave


Trabalho; Saúde do Trabalhador; Estresse psicológico; Condições de trabalho; Estudos Transversais

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447