PRÁTICAS DE PODER NO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA DE BELO HORIZONTE

ISABELA CANCIO VELLOSO, Maríla Alves, Meiriele Tavares Araújo

Resumo


O trabalho do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) envolve a participação de diversos profissionais
que atendem a demandas de diferentes níveis de complexidade, em um amplo território geográfico, com um
planejamento de trabalho diferente dos serviços com estruturas exclusivamente fixas. O objetivo deste estudo foi
analisar a configuração de práticas de poder no cotidiano do trabalho dos profissionais do SAMU. Trata-se de um
estudo de caso qualitativo, cujo cenário foi o SAMU de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A amostra foi composta
por 31 trabalhadores, e os dados coletados por entrevista semiestruturada e submetidos à análise de discurso.
No contexto das lutas e práticas de poder, destacam-se ‘o poder da vaga-zero’ e os ‘corpos uniformes e imagens de
poder no SAMU’. Percebe-se que, no SAMU, o poder está presente como prática social, com sua centralidade se
deslocando de acordo com as situações vivenciadas e os interesses em questão.


Palavras-chave


Serviços Médicos de Emergência. Equipe de Busca e Resgate. Prática Profissional. Relações Interprofissionais.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447