INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA EM SAÚDE E GRAVIDADE CLÍNICA EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Adriana Cristina Oliveira, Adriana Oliveira Paula, Robert Aldo Iquiapaza, Ana Clara de Souza Lacerda

Resumo


Objetivou-se verificar a possível associação entre a severidade clínica e a ocorrência de infecções relacionadas à
assistência em saúde. Conduziu-se uma coorte prospectiva em uma unidade de terapia intensiva de um hospital
universitário, de agosto de 2009 a fevereiro de 2010. Utilizou-se o Average Severity Index Score para avaliar a severidade
clínica. Os dados foram coletados por vigilância ativa e processados no SPSS. Realizou-se análise univariada e
considerou-se significância estatística de p<0,05, com intervalo de confiança de 95%. O índice de severidade esteve
relacionado à ocorrência de infecções, assim como tempo de permanência na unidade de terapia intensiva, tipo de
paciente, uso de procedimento invasivo, antimicrobiano, colonização e desfecho do paciente (p<0,05). A presença
de infecções foi um fator preditivo para a ocorrência de óbitos (p=0,000). Tais achados reforçam a ideia de que a
ocorrência de infecção constitui uma complexa cadeia, multifatorial, com destaque para a severidade clínica do paciente.

Palavras-chave


Índice de Gravidade de Doença; Infecção Hospitalar; Unidades de Terapia Intensiva

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447