PROCESSO DE TRABALHO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE: POSSIBILIDADES E LIMITES

Marta Cocco da Costa, Ethel Bastos da Silva, Alice do Carmo Jahn, Darielli Gindri Resta, Isabel Cristina dos Santos Colomé, Rafaela De Carli

Resumo


No presente estudo, objetiva-se conhecer e analisar o processo de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) de
um município da região Noroeste do Rio Grande do Sul, em uma abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada
mediante entrevista semiestruturada, aplicada a 23 ACS, e, para a análise dos dados, utilizou-se Análise de Conteúdo
Temática. Os resultados evidenciaram, dentre as possibilidades: comunicação com as famílias atendidas, formação
de vínculo e valorização/satisfação do profissional pela comunidade. Dentre os limites: dificuldade de trabalhar em
equipe; dificuldade em realizar trabalhos coletivos na comunidade; remuneração baixa/sobrecarga de trabalho e falta
de qualificação. Evidenciou-se a necessidade de reorganização do processo de trabalho desses profissionais, com maior
investimento na formação e instrumentalização, por meio da adoção da política de educação permanente.

Palavras-chave


Programa Saúde da Família; Trabalhadores; Condições de trabalho; Enfermagem em saúde comunitária.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447