A unidade de terapia intensiva neonatal possibilitando novas práticas no cuidado ao recém-nascido

Roberta Costa, Maria Itayra Padilha

Resumo


Pesquisa qualitativa, com abordagem sócio-histórica. O objetivo é compreender como se instituíram as práticas de
cuidado ao recém-nascido na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) em Florianópolis, na década de 1980.
O contexto do estudo foi o Hospital Infantil Joana de Gusmão. Os sujeitos foram profissionais de saúde que participaram
da implantação da UTIN. Para análise dos dados utilizamos o método genealógico proposto por Foucault.
Identificamos quatro agrupamentos discursivos: Muita criança saiu ganhando com isso; A gente aprendeu a cuidar
do recém-nascido, cuidando; Faltava um olhar mais científico para a assistência; Cuidado sensível, humanizado e
individualizado. A implantação de uma unidade específica para o cuidado do recém-nascido resultou numa redução
da morbi-mortalidade neonatal e na aquisição do conhecimento científico. Os discursos dos profissionais de
saúde revelam que, desde os primórdios da UTIN, já havia uma preocupação com o cuidado sensível, humanizado
e individualizado ao recém-nascido.

Palavras-chave


UTI neonatal; recém-nascido; neonatologia; cuidado da criança

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447