SINTOMAS DE ESTRESSE EM TRABALHADORAS DE ENFERMAGEM DE UMA UNIDADE DE PRONTO SOCORRO

Maycon Rogério Seleghim, Mônica Augusta Mombelli, Magda Lúcia Félix de Oliveira, Maria Angélica Pagliarini Waidman, Sonia Silva Marcon

Resumo


Estudo transversal, realizado em um Pronto-Socorro, com o objetivo de identificar a associação de dados
sociodemográficos, ocupacionais e econômicos em trabalhadores de enfermagem com a presença de sintomas de
estresse. Os dados foram coletados em julho e agosto de 2009, junto a 33 sujeitos, utilizando um Inventário de Sintomas
de Estresse para Adultos. A maioria das trabalhadoras apresentava sintomas de estresse nas fases de resistência
e de quase exaustão, com presença de sintomas psicológicos e físicos. Maiores frequências foram encontradas em trabalhadoras mais jovens, casadas, com ensino superior completo, católicas, que não possuem outro emprego,
trabalham no período vespertino ou noturno e, como técnicas de enfermagem, atuam no setor há mais de seis anos e na enfermagem há menos de dez anos. Conclui-se, pela necessidade de atuação junto a essas trabalhadoras com o
intuito de prevenir novos casos, tratar os existentes, a fim de evitar a evolução para estágios mais graves.


Palavras-chave


Esgotamento profissional; Estresse psicológico; Enfermagem em emergência; Condições de trabalho.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447