Úlcera por pressão em idosos institucionalizados: análise da prevalência e fatores de risco

Maria Célia de Freitas, Adriana Bessa Fernandes Medeiros, Paulo César de Almeida, Maria Vilani Cavalcante Guedes, Francisca Tereza de Galiza, Jéssica de Menezes Nogueira

Resumo


As inquietações sobre o tema surgiram a partir de estudos sobre a prevalência de úlcera por pressão e pela convivência com idosos com lesões durante a prática profissional em instituições de longa permanência para idosos. Objetivou-se analisar a prevalência e os fatores de risco das úlceras por pressão em idosos institucionalizados. Estudo retrospectivo, de natureza quantitativa, realizado em uma instituição de longa permanência para idoso pública, na cidade de Fortaleza, Ceará. Amostra constituída por 300 prontuários de idosos no período de 2006 a 2009. Utilizou-se para coleta dos dados um formulário. Respeitaram-se os preceitos éticos. Os fatores de riscos mais prevalentes foram: acidente vascular encefálico (60%) e hipertensão arterial (74,3%). A média da prevalência de úlcera por pressão no período foi de 18,8%, com variação de 11,1% a 23,2%. As recomendações para a prevenção das úlceras por pressão incluem a elaboração de um programa de prevenção para promover um envelhecimento ativo.


Palavras-chave


Úlcera por Pressão; Idoso; Prevalência; Enfermagem

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447