Implantação do diagnóstico de enfermagem em unidade de terapia intensiva: uma análise periódica.

Angelita Paganin, Patrícia Menegat, Tânia Klafke, Andres Lazzarotto, Taís de Souza Fachinelli, Israel Cesar Chaves, Emiliane Nogueira Souza

Resumo


O conhecimento acerca da prevalência dos diagnósticos de enfermagem (DE) contribui para a previsão dos cuidados necessários e para a orientação de programas de educação permanente. Estudo com delineamento transversal, que teve por objetivo identificar os principais DE de uma unidade de terapia intensiva (UTI), comparando-se as diferentes categorias entre os pacientes clínicos e cirúrgicos. A análise dos dados foi realizada de acordo com a taxonomia II da

 

 

North American Nursing Diagnoses Association (NANDA). Nos 150 prontuários avaliados foram encontrados 195 diagnósticos, com uma média de 1,3 DE por paciente, majoritariamente do domínio segurança e proteção (39,5%). Os DE mais freqüentes foram: integridade tissular prejudicada (22%), troca de gases prejudicada (22%), perfusão tissular ineficaz cerebral (8,7%), integridade da pele prejudicada (7,7%), débito cardíaco diminuído  (6,7%) e perfusão tissular ineficaz cardiopulmonar (6,1%). Os DE mais prevalentes denotam as necessidades fisiológicas como as mais comuns na amostra estudada. 


Palavras-chave


Diagnóstico de enfermagem; Unidades de terapia intensiva; Enfermagem

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447