Enfermagem como mediadora entre nomofobia e isolamento social em resposta à COVID-19

Marcos Venicio Esper, Jeferson Santos Araújo, Manoel Antônio dos Santos, Lucila Castanheira Nascimento

Resumo


RESUMO
Objetivo: Refletir sobre a relação entre nomofobia e pandemia da COVID-19 e delinear as contribuições da Enfermagem para lidar com esta situação e suas consequências. Método: Estudo teórico e reflexivo, fundamentado no diálogo entre a literatura científica sobre a temática e uma perspectiva conceitual da integralidade do cuidado. Resultados: A Enfermagem pode apoiar a identificação e reflexão sobre um hábito prejudicial relacionado ao uso inadequado do telefone celular, principalmente quando os indivíduos estão em tratamento para outros diagnósticos. Considerações finais: A Enfermagem, ao abordar os aspectos emocionais e subjetivos das pessoas sob seus cuidados, pode auxiliar no alívio dos sintomas da nomofobia e, em sintonia com as necessidades do paciente, contribuir para maior segurança, redução do estresse e identificação de estratégias promotoras de bem-estar neste contexto de pandemia.
Palavras-chave: Uso do telefone celular. Enfermagem. Pandemias. Infecções por coronavírus. Isolamento social.


Palavras-chave


Uso do telefone celular. Enfermagem. Pandemias. Infecções por coronavírus. Isolamento social.

Texto completo:

PORTUGUÊS


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447