Queda domiciliar de idosos: implicações de estressores e representações no contexto da COVID-19

Jéssica de Castro Santos, Cristina Arreguy-Senna, Paulo Ferreira Pinto, Elenir Pereira de Paiva, Pedro Miguel dos Santos Dinis Parreira, Marcos Antônio Gomes Brandão

Resumo


RESUMO
Objetivos: Descrever condições pessoais e estrutura domiciliar que predispõe a pessoa idosa ao risco de queda, na perspectiva de estressores de Neuman; descrever os conteúdos, a estrutura e a origem das representações sociais sobre queda no domicílio por pessoas idosas; e conjecturar as implicações destas evidências empíricas sobre o cotidiano de idosos no contexto da pandemia ocasionada pelo COVID-19.
Método: Método misto com triangulação convergente (Janeiro-Julho/2017), delineamento qualitativo (abordagens estrutural e processual da Teoria das Representações Sociais) e quantitativo (seccional) abordando idosos (≥65 anos).
Resultados: Identificaram-se fatores ambientais para queda no domicílio, medo diante das atividades de vida diária e perda da acuidade visual. Sentimentos e comportamentos mencionados no possível núcleo central justificaram a modulação de comportamentos. Categorias de análise: 1)Representação da (in)adaptabilidade do ambiente domiciliar; 2) Representação e superação de limitações advindas das fragilidades. Conclusão: Foi possível produzir conjecturas sustentadas nas evidências empíricas na situação atual na dinâmica da pandemia.
Palavras-chave: Acidentes por quedas. Idoso. Habitação. Infecções por coronavírus. Enfermagem geriátrica. Teoria de enfermagem.


Palavras-chave


Acidentes por quedas. Idoso. Habitação. Infecções por coronavírus. Enfermagem geriátrica. Teoria de enfermagem.

Texto completo:

PORTUGUÊS


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447