O trabalho emocional em enfermagem pediátrica face às repercussões da COVID-19 na infância e adolescência

Bruna Hinnah Borges Martins de Freitas, Ana Inês Lourenço da Costa, Paula Manuela Jorge Diogo, Maria Aparecida Munhoz Gaíva

Resumo


Objetivo: Refletir sobre o trabalho emocional em enfermagem pediátrica face às repercussões da COVID-19 na infância e adolescência. Método: Reflexão embasada em aspectos teóricos e evidências científicas do trabalho emocional em enfermagem pediátrica. Resultados: Diante das repercussões da COVID-19 em crianças e adolescentes, cabe ao enfermeiro reconhecê-las e nutrir o cuidado não traumático e afetuoso. No entanto, observamse implicações das medidas de controle da doença na forma de cuidar. Nesta conjuntura, o trabalho emocional torna-se essencial à medida que orienta a gestão das emoções da criança e família, associadas ao sofrimento causado pela pandemia e à experiência emocional do enfermeiro ao cuidar. Conclusão: O trabalho emocional é imprescindível em pediatria, sobretudo em um momento estressante como o de pandemia, o qual requer a transformação positiva das vivências intensas e perturbadoras das pessoas em interação para o alcance do bem-estar psicossocial. Palavras-chave: Enfermagem pediátrica. Cuidados de enfermagem. Emoções. Infecções por coronavírus. Pandemias.


Palavras-chave


Enfermagem pediátrica. Cuidados de enfermagem. Emoções. Infecções por coronavírus. Pandemias.

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447