PERCEPÇÃO DO FAMILIAR CUIDADOR SOBRE A INDEPÊNDENCIA FUNCIONAL, O NÍVEL COGNITIVO E O ESTADO EMOCIONAL DO IDOSO

Paulo Frassinetti Delfino do Nascimento, Ilary Gondim Dias Sousa, Maria Fernandes Lopes, Nilza Moura Marques, Allan Pablo do Nascimento Lameira

Resumo


O envelhecimento é um processo natural, caracterizado por mudanças
físicas, psicológicas e sociais individualizadas que podem resultar no
quadro de dependência funcional. Nesse contexto, faz-se necessário o auxílio de um cuidador, que geralmente é representado por algum membro familiar. O presente estudo é uma pesquisa experimental, transversal, de caráter quantitativo, que objetivou compreender como o idoso é percebido (avaliado). Foi realizado o questionamento do familiar cuidador sobre o estado geral do idoso, averiguando se a sua avaliação condiz com o resultado de escalas já validadas e que abordam os seguintes aspectos: a independência funcional, o nível cognitivo e o estado emocional. Os dados foram analisados por meio do teste de correlação de Spearman com as variáveis: percepção do acompanhante (PA); nível cognitivo (NC); independência funcional (IF); e estado emocional (EE). A análise resultou em correlação significativa apenas entre as variáveis: PA e NC; IF e NC. O fato de ter ocorrido apenas dois resultados significativos sugere que o familiar cuidador apresenta dificuldades em captar/identificar qual o estado geral do idoso que está sobre os seus cuidados. Ou seja, possivelmente, questões como escolaridade, idade avançada, condições socioeconômicas, entre outros fatores intrínsecos do indíviduo podem determinar a capacidade perceptiva e empática, acarretando na redução da qualidade assistencial oferecida ao idoso dependente. 


Palavras-chave


Idoso, Familiar cuidador, Incapacidade funcional, Envelhecimento cognitivo, Depressão

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2316-2171.94194

Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2019, A3