POTENCIAIS EVOCADOS AUDITIVOS DE LONGA LATÊNCIA E POTENCIAL COGNITIVO EM INDIVÍDUOS AFÁSICOS

Amanda Zanatta Berticelli, Kamila Grotto, Vanessa Rocha, Lenisa Brandão, Pricila Sleifer

Resumo


Objetivo: Analisar os achados do potencial evocado auditivo de longa latência (PEALL) e cognitivo (P3) em indivíduos afásicos. Método: Foram avaliados 17 indivíduos afásicos em decorrência de acidente vascular encefálico (AVE), com média de 63,4 anos, por meio dos PEALL e P3. Resultados: Dos 17 indivíduos, apenas 11 obtiveram as ondas P1 e N1, 10 apresentaram a onda P2 e apenas seis apresentaram as ondas N2 e P3. Foram encontradas associações quando correlacionados os achados do PEALL com gênero, idade, escolaridade e caracterização da afasia. Não houve correlação com o tempo de ocorrência do AVE e a realização de terapia fonoaudiológica prévia à avaliação. Conclusão: Os PEALL e P3 demonstraram-se úteis e importantes na avaliação de indivíduos afásicos. 


Palavras-chave


Potenciais Evocados Auditivos. Eletrofisiologia; Afasia; Potencial Evocado; Audição

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, Kátia de Freitas et al. Estudo eletrofisiológico do sistema auditivo periférico e central em indivíduos afásicos. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, São Paulo, v. 63, n. 1, p. 104-109, mar. 2005.

AMERICAN SPEECH-LANGUAGE-HEARING ASSOCIATION. Central Auditory Processing: Current Status of Research and Implications for Clinical Practice. American Journal of Audiology, Rockville, MD, v. 5, p. 41-52, July 1996.

BELLIS, Teri James. Assessment & Management of Central Auditory Processing Disorders in the Educational Setting: From Science to Practice. 2nd ed. New York: Delmar, 2003.

CÓSER, Maria José Santos et al. Latência do potencial evocado auditivo P300 em idosos. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 76, n. 3, p. 287-293, maio/jun. 2010.

COSTA, Silvana Maria Bruno da; COSTA FILHO, Orozimbo Alves; CARDOSO, Maria Regina Alves. Os efeitos da idade e sexo na latência do P300. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Paulo, v. 68, n. 6, p. 891-894, nov./dez. 2002.

CRIPPA, Bibiana Lintes; AITA, Aline Domingues Chaves; FERREIRA, Maria Inês Dornelles da Costa. Padronização das respostas eletrofisiológicas para o P300 em adultos normo-ouvintes. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 23, n. 3, p. 325-333, dez. 2011.

FRIZZO, Ana Claudia Figueiredo; ALVES, Renata P. C.; COLAFÊMINA, José Fernando. Potenciais evocados auditivos de longa latência: um estudo comparativo entre hemisférios cerebrais. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Paulo, v. 67, n. 5, p. 618-625, set./out. 2011.

GROTTO, Kamila. Achados do potencial evocado auditivo de longa latência e cognitivo (P300) em indivíduos afásicos. 2013. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Fonoaudiologia) – Faculdade de Odontologia, Instituto de Psicologia, Universidade

Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

HALL, James W. New Handbook of Auditory Evoked Responses. Zug: Pearson, 2006.

MACHADO, Cíntia Santos Silva; CARVALHO, Angélika Caldeira Oliveira; GUERRA E SILVA, Paloma Luara. Caracterização da normalidade do P300 em adultos jovens. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 83-90, 2009.

MASSA, Camila Gonçalves Polo et al. P300 com estímulo verbal e não verbal em adultos normo-ouvintes. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 77, n. 6, p. 686-690, nov./dez. 2011.

MATAS, Carla Gentile et al. Potenciais evocados auditivos em indivíduos acima de 50 anos de idade. Pró-Fono, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 277-284, set./dez. 2006.

MATAS, Carla Gentile; HATAIAMA, Natália Moribe; GONÇALVES, Isabela Crivellaro. Estabilidade dos potenciais evocados auditivos em indivíduos adultos com audição normal. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 37-41, jan./mar. 2011.

MCPHERSON, David L. Late Potentials of the Auditory System. San Diego: Singular, 1996. p. 147.

MCPHERSON, David L.; BALLACHANDA, Bopanna B.; KAF, WAFAA. Middle and Long Latency Auditory Evoked Potentials. In: ROESER, Ross J.; VALENTE, Michael; HOSFORD-DUNN, Holly. Audiology: Diagnosis. New York: Thieme, 2008. p. 443-477.

MELO, Iracema Hermes Pires de et al. Potenciais evocados audotivos de longa latências: um estudo de caso de afasia de expressão. Revista CEFAC, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 417-422, jul./set. 2007.

MENDONÇA, Elisângela Barros Soares et al. Aplicabilidade do teste padrão de frequência e P300 para avaliação do processamento auditivo. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 79, n. 4, p. 512-521, jun./ago. 2013.

MIRANDA, Elisiane Crestani de et al. Correlation of the P300 Evoked Potential in Depressive and Cognitive Aspects of Aging. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 78, n. 5, p. 83-89, Sept./Oct. 2012.

NUNES, Flávio Barbosa. Da avaliação do P300 e do processamento auditivo em pacientes idosos com e sem queixa auditiva. 2002. 73 f. Dissertação (Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2002.

OLIVEIRA, Juliana Casseb; MURPHY, Cristina Ferraz Borges; SCHOCHAT, Eliane. Auditory Processing in Children with Dyslexia: Electrophysiological and Behavior Evaluation. CoDAS, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 39-44, 2013.

ORTIZ, Karin Zazo. Afasia. In: ORTIZ, Karin Zazo (Org.). Distúrbios neurológicos adquiridos: linguagem e cognição. 2. ed. São Paulo: Manole, 2010. p. 47-64.

RADANOVIC, Márcia; MANSUR, Letícia Lessa; SCAFF, Milberto. Normative Data for the Brazilian Population in the Boston Diagnostic Aphasia Examination: Influence of Schooling. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, São Paulo, v. 37, n. 11, p. 1731-1738, Nov. 2004.

REIS, Ana Claudia Mirândola Barbosa; FRIZZO, Ana Claudia Figueiredo. Potencial evocado auditivo de longa latência. In: BEVILACQUIA, Maria Cecília et al. Tratado de Audiologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

REIS, Ana Cláudia Mirândola Barbosa; IÓRIO, Maria Cecília Martinelli. P300 em sujeitos com perda auditiva. Pró-Fono, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 113-122, jan./abr. 2007.

SANTOS FILHA, Valdete Alves Valentins dos; MATAS, Carla Gentile. Potenciais evocados auditivos tardios em indivíduos com queixa de zumbido. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 76, n. 2, p. 263-270, mar./abr. 2010.

SCHOCHAT, Eliane et al. From Otoacoustic Emission to Late Auditory Potentials P300: The Inhibitory Effect. Acta Neurobiologiae Experimentalis, Warsaw, v. 72, n. 3, p. 296-307, 2012.

SIMOES, Mariana Buncana; SOUZA, Renata Rezende de; SCHOCHAT, Eliane. Efeito de supressão nas vias auditivas: um estudo com os potenciais de média e longa latência. Efeito de supressão nas vias auditivas: um estudo com os potenciais de média e longa

latência. Revista CEFAC, Campinas, v. 11, n. 1, p. 150-157, jan./mar. 2009.

SLEIFER, Pricila. Avaliação eletrofisiológica da audição em crianças. In: CARDOSO, Maria Cristina (Org.). Fonoaudiologia na infância: avaliação e tratamento. Rio de Janeiro: Revinter, 2014. p. 171-194.

SLEIFER, Pricila et al. Auditory brainstem response in premature and full-term children. International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology, Amsterdam, v. 71, n. 9, p. 1449-1456, Sept. 2007.

________. Auditory Evoked Potential of Late Latency and Cognitive (P3) in Aphasic Individuals. International Archives of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 19, Suppl. 1, p. a2207, Aug. 2014.

SOARES, Aparecido José Couto et al. Potenciais evocados auditivos de longa latência e processamento auditivo central em crianças com alterações de leitura e escrita: dados preliminares. International Archives of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 486-491, out./dez. 2011.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2