DESEMPENHO COGNITIVO E PERCEPÇÃO DE FALA NO RUÍDO DE IDOSOS COM PERDA AUDITIVA

Alexandre Hundertmarck Lessa, Sinéia Neujahr dos Santos, Maristela Julio Costa

Resumo


Introdução: durante o processo de envelhecimento, além do declínio
da função auditiva, ocorre o declínio da memória e de outras funções
corticais superiores. Ao considerar a relação entre desempenho
cognitivo e perda auditiva, idosos com perda auditiva podem
apresentar escores mais baixos em tarefas cognitivas do que os
idosos sem perda auditiva. Objetivo: verificar a correlação entre
o desempenho cognitivo de idosos com perda auditiva e a habilidade
de reconhecimento de fala no ruído. Métodos: este estudo foi
composto por 15 idosos, de ambos os gêneros, com idades entre
60 e 87 anos e perda auditiva neurossensorial, bilateral de grau leve a moderadamente severo. Estes foram submetidos ao Mini Exame do Estado Mental (MEEM) para avaliar o desempenho cognitivo e ao teste Listas de Sentenças em Português Brasileiro, para avaliar o reconhecimento de fala no ruído. Resultados: A pontuação média para o MEEM foi 24,93, com mínimo de 17 e máximo de 29. Por sua vez a relação sinal/ruído (S/R) média encontrada foi -0,17 dB, tendo como valor mínimo (melhor resultado), -4,89 dB e máximo (pior resultado), +10 dB. Foi encontrada correlação estatisticamente significante entre estas variáveis (p = 0,0236). Conclusão: foi verificado que a pontuação do MEEM se mostrou diretamente proporcional à relação S/R na qual foram obtidos os limiares de reconhecimento de sentenças dos sujeitos idosos com perda auditiva, estudados nesta pesquisa. Isso indica que a cognição pode estar intimamente relacionada ao desempenho comunicativo de idosos em situações desfavorável de conversação.


Palavras-chave


Auxiliares de Audição. Cognição; Idoso; Percepção da Fala; Perda Auditiva

Texto completo:

PDF

Referências


AKEROYD, Michael A. Are individual differences in speech reception related to individual difference in cognitive ability? A survey of twenty experimental studies with normal and hearing-impaired adults. International Journal of Audiology, v. 47, n. 2, p. 453-471, Jan. 2008.

ALMEIDA, Osvaldo P. Mini-exame do estado mental e o diagnóstico de demência no Brasil. Arquivos de Neuropsiquiatria, São Paulo, v. 56, n. 3B, p. 605-612, 1998.

ANDERSON, Samira et al. A dynamic auditory-cognitive system supports speech-in-noise perception in older adults. Hearing research, v. 300, p. 18-32, June 2013.

COSTA, Maristela J.; IÓRIO, Maria Cecília M.; MANGABEIRA-ALBERNAZ, Pedro L. Desenvolvimento de um teste para avaliar a habilidade de reconhecer a fala no silêncio e no ruído. Pró-fono, Carapicuíba, v. 12, n. 2, p. 8-16, 2000.

FOLSTEIN, Marshal F.; FOLSTEIN, Susan E.; MCHUGH, Paul R. Mini-mental state: a practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. Journal of Psychiatric Research, Great Britain, v. 12, n. 3, p. 189-198, 1975.

FREITAS, Carine D.; LOPES, Luís Felipe D.; COSTA, Maristela J. Confiabilidade dos limiares de reconhecimento de sentenças no silêncio e no ruído. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Paulo, v. 71, n. 5, p. 624-30, jul./ago. 2005.

GHIRINGHELLI, Rosângela; IORIO, Maria Cecilia M. Hearing aids and recovery times: a study according to cognitive status. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 79, n. 2, p. 177-184, Mar./Apr. 2013.

GORDON-SALANT, Sandra; YENI-KOMSHIAN, Grace; FITZGIBBONS, Peter. The role of temporal cues in word identification by younger and older adults: effects of sentence context. The Journal of the Acoustical Society of America, v. 124, n. 5, p. 3249-60, Nov. 2008.

HOPKINS, Kathryn; MOORE, Brian C. Moderate cochlear and hearing loss leads to a reduced ability to use temporal fine structure information. The Journal of the Acoustical Society of America, v. 122, n. 2, p. 1055-1068, Aug. 2007.

LEVITT, Harry; RABINER, Lawrence R. Use of a sequencial strategy in intelligibility testing. The Journal of the Acoustical Society of America, v. 42, n. 1, p. 609-612, July 1967.

LIN, Frank R. Hearing loss and cognition among older adults in the United States. Journal of Gerontology: Biological Sciences, v. 66A, n. 10, p. 1131-1136, Oct. 2011.

LLOYD, Lyle L.; KAPLAN, Harriet Audiometric interpretation: a manual as basic audiometry. Baltimore: University Park Press, 1978.

LUNNER, Thomas; RUDNER, Mary; RÖNNBERG, Jerker. Cognition and hearing aids. Scandinavian Journal of Psychology, v. 50, n. 5, p. 395-403, Oct. 2009.

MAGALHÃES, Ruth; IÓRIO, Maria Cecilia M. Avaliação da restrição de participação e de processos cognitivos em idosos antes e após intervenção fonoaudiológica. Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 51-56, jan./mar. 2011.

MARTIN, Jeffrey S.; JERGER, James F. Some effects of aging on central auditory processing. Journal of Rehabilitation Research & Development, v. 42, n. 4, suplemento 2, p. 25-44, July/Aug. 2005.

MEISTER, Hartmut et al. Cognitive resources related to speech recognition with a competing talker in young and older listeners. Neuroscience, v. 232, p. 74-82, Mar. 2013.

PICHORA-FULLER, Kathleen M.; SINGH, Gurjit. Effects of age on auditory and cognitive processing: Implications for hearing aid fitting and audiologic rehabilitation. Trends in Amplification, v. 10, n. 1, p. 29-59, Mar. 2006.

PINHEIRO, Maria Madalena C. et al. A influência dos aspectos cognitivos e dos processos auditivos na aclimatização das próteses auditivas em idosos. Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 24, n. 4, p. 309-15, 2012.

RUDNER, Mary; RÖNNBERG, Jerker; LUNNER, Thomas. Working memory supports listening in noise for persons with hearing impairment. Journal of American Academy of Audiology, v. 22, n. 3, p. 156-167, Mar. 2011.

SCHNEIDER, Bruce A.; DANEMAN, Meredyth; PICHORA-FULLER, Kathleen M. Listening in aging: from discourse comprehension to psychoacoustics. Canadian Journal of Experimental Psychology, v. 56, n. 3, p. 139-152, Sep. 2002.

TAY, Tien et al. Sensory and cognitive association in older persons: findings from an older australian population. Gerontology, v. 52, n. 6, p. 386-394, Oct.2006.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2