VELHICE NO OLHAR DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM, DIREITO E PEDAGOGIA

Simone Oliveira Ferreira, Andréa Evangelista Lavinsky, Talita Machado Levi, Raimunda Silva D'Alencar

Resumo


Este estudo propõe analisar os significados da velhice atribuídos por 
acadêmicos da Universidade Estadual de Santa Cruz, considerando a importância dessa temática, visto que a velhice faz parte do processo de evolução humana e esta tem se tornado um fenômeno global. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada no período de 2014 a 2016 por meio de entrevista semiestruturada, que contou com a  participação de vinte e dois acadêmicos dos cursos de Enfermagem, Pedagogia e Direito. Os dados analisados revelaram que a maioria dos acadêmicos apresenta uma maneira singular de entender a velhice. As expectativas estão voltadas para uma vida longeva, um envelhecimento ativo e pautado no respeito. O fato de envelhecer não vem expresso nas falas como algo negativo, mas foram direcionadas preocupações para uma velhice não compartilhada, com ausência do núcleo familiar e a falta de mecanismos na sociedade que garantam de forma efetiva os direitos dos idosos. Apesar das significações e representações positivas no que se refere à velhice, percebeu-se em alguns relatos a falta de proximidade com essa fase. Esta pesquisa mostrou a necessidade de se discutir enquanto sociedade sobre as questões que envolvem os idosos, assim como sobre o preparo do envelhecimento enquanto pessoa que também está envelhecendo, haja vista os reflexos para uma sociedade de idosos, que já é uma realidade.


Palavras-chave


Velhice. Representação social. Estudos Universitários.

Texto completo:

PDF

Referências


BAPTISTA, Bruna Olegário et al. A sobrecarga do familiar cuidador no âmbito domiciliar: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Gaúcha Enfermagem. Porto Alegre (RS), v.33 (1), p. 147-56, mar. 2012.

Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. 5 ed. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, p. 281.2009.

BRANDÃO, Vera. Viver bem para longeviver melhor. Revista portal de Divulgação. São Paulo, v.34, jul. 2013. Disponível em:. Acesso em: 07 dez. 2016.

BRASIL. Envelhecimento ativo: um marco político em resposta à revolução da longevidade. Centro internacional de longevidade Brasil. 1ª edição. Rio de Janeiro (RJ), Jul. 2015.

Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2016.

CALDAS, Célia Pereira et al. A velhice no olhar do outro: uma perspectiva do jovem sobre o que é ser velho. Revista Kairós Gerontologia. São Paulo, v.13 (2), p.75-89, nov. 2010.

Disponível em:. Acesso em: 07 dez. 2016.

CARNEIRO, Roberto et al. O envelhecimento da população: dependência, ativação e qualidade. Lisboa, 31 de Agosto de 2012.

Disponível em:

. Acesso em: 15 dez. 2016.

CÔRTE, Beltrina et al. Coragem para longeviver. Revista portal de Divulgação. São Paulo, v. 34, Ano III, jul. 2013. ISSN 2178-3454.

Disponível em:

. Acesso em: 15 dez. 2016.

CORRÊA, Letícia Rocha et al. O grupo operativo e a promoção de saúde mental para idosos. Revista Saúde e Desenvolvimento. São Paulo, v.3 (2). jan/jun. 2013.

Disponível em:

Acesso em: 15 dez. 2016.

FERREIRA, Olívia Galvão Lucena et al. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, v. 21(3), p. 513-8, Jul-Set. 2012.

Disponível em:

. Acesso em: 15 dez. 2016.

FREITAS, Maria Célia de et al. O significado da velhice e da experiência de envelhecer para os idosos. Rev Esc Enferm, v.44(2), p.407-12, USP. 2010. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n2/24.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2016.

FREITAS, Patrícia da Conceição Barbosa de et al. Solidão em idosos: percepção em função da rede social. Veritati- HYPERLINK "http://repositorio.ucp.pt/"Repositório Institucional da Universidade Católica Portuguesa. Junho 2011. Disponível em:. Acesso em: 15 dez. 2016.

HEDLER, Helga Cristina et al. Representação social do cuidado e do cuidador familiar do idoso. Rev. Katál. Florianópolis, v. 19(1), p. 143-153, jan-jun. 2016. Disponível em:. Acesso em: 15 dez. 2016.

GOMES, Lucy et al. O velho e a morte. Revista Temática Kairós. Gerontologia. São Paulo, v.15(4), p. 117-132. agos.2012. Disponível em:

< http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/17040/12646>. Acesso em: 15 dez. 2016.

GOLDENBERG, Mirian. Corpo, envelhecimento e felicidade na cultura brasileira. Revista contemporânea Ed.18. Rio de Janeiro, v.9 (2). 2011. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/contemporanea/article/view/2143>. Acesso em: 15 dez. 2016.

IBGE. Censo Demográfico de 2000. Disponível em Acesso em 05 set. 2010.

MACHADO, Ana Karina da Cruz et al. A exclusão social da pessoa idosa e o despreparo para lidar com o envelhecimento humano. Editora realize - Anais CIEH. Faculdade Mauricio de Nassau, v.2 (1). 2015.

Disponível em:

. Acesso em: 07 fev. 2016.

MEDEIROS, Fabíola de Araújo Leite et al. Visão de acadêmicos de enfermagem em relação ao processo de envelhecimento. Rev Rene. Campina Grande, v.13 (4), p.825-33. 2012.

Disponível em:

.Acesso em: 20 abr. 2015.

MIRANDA, Gabriella Morais Duarte et al. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 19 (3), p. 507-519. 2016.

Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v19n3/pt_1809-9823-rbgg-19-03-00507.pdf >. Acesso em: 07 fev. 2016.

MORAIS, Fernando Antônio de Andrade. Respeito aos idosos como valor humano. Revista Científica Semana Acadêmica. Fortaleza, v.1, maio.2015. Disponível em: < https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo-idosos.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2017.

MOTTA, Alda Britto da. A atualidade do conceito de gerações na pesquisa sobre o envelhecimento. Soc. estado. Brasília, vol. 25 (2 ) Maio/Aug. 2010.

Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922010000200005>. Acesso em: 17fev.

PEREIRA, Jacqueline Mary Monteiro. A escola do riso e do esquecimento: idosos na educação de jovens e adultos. Educação em foco. Juiz de Fora, (MG), v.16 (2), p.213, fev.2012. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.

ROUGEMONT, Fernanda dos Reis. Da longevidade à velhice. Primeiros Estudos. São Paulo, n.2, p.12-27. 2011.

Disponível em:

< http://www.revistas.usp.br/primeirosestudos/article/view/45943 >. Acesso em: 07 fev. 2016.

ROLIM, Taiane da Cruz et al. Reflexões gerais sobre envelhecimento e sobre direitos garantidos pelo direito brasileiro contemporâneo. Boletim Jurídico, Uberaba/MG, 2014. Disponível em: Acesso em: 21 fev. 2017.

ROSA, Marília Ceccon Salarini da et al. Envelhecimento ativo: novas perspectivas e oportunidades para o campo do design emocional. Editora Blucher. São Paulo, v.1(4), p. 3336-3346. 2014. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.

SCORTEGAGNA, Paola Andressa et al. Idoso: um novo ator social. Universidade de Caxias do Sul. Seminário de pesquisa em educação da Região Sul. 2012. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.

SCALSAVARA, Flávia. Educação para o envelhecimento: e as universidades abertas da terceira idade: um espaço de construção do saber. Repositório Institucional da UFSC, Biblioteca Universitária. Florianópolis, mar. 2013.

Disponível em:. Acesso em: 07 fev. 2016.

SICCO, Juliana de Mattos. Abordagens pedagógicas sobre o envelhecimento: das possibilidades da inserção dos estudos gerontológicos no currículo escola. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 abril. 2015.

SILVA, Virgínia Arlinda da. Inclusão social e familiar do idoso, uma conjunção possível?. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa (MG), 2015.

Disponível em:

. Acesso em: 07 fev. 2016.

SILVA, Bruna Rodrigues da et al. A velhice como marca da atualidade: uma visão psicanalítica. Periódicos Eletrônicos em Psicologia. São Paulo, v.8 (2), p. 23-30, dez. 2011.

Disponível em:

. Acesso em: 07 fev. 2016.

VELOSO, Ana Sofia Tanoeiro. Envelhecimento, saúde e satisfação: efeitos do envelhecimento ativo na qualidade de vida. Dissertação de Mestrado em Gestão e Economia da Saúde. Coimbra, jun.2015.

Disponível em:

. Acesso em: 07 fev. 2016.

ZANON, Carla Bianca Ferreira Moncaio et al. Como vai a educação gerontológica nas escolas públicas do distrito federal? um estudo com idosos e jovens. Rev. Bras. Geriatria Gerontologia. Rio de Janeiro, v. 14(3), p. 555-566. 2011.

Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2