A compreensão de leitura textual como um instrumento de diagnóstico de pacientes com demência de Alzheimer leve e moderada

Juciclara Rinaldi, Marília Silveira, Renata Kochhann, Maria Alice de Mattos Pimenta Parente

Resumo


Resumo: A tarefa de reconto de histórias apresenta diferença entre idosos sem e com demência, pois aqueles lembram maior número de informações do que estes. Com o objetivo de verificar se, desde as etapas iniciais, os pacientes com Demência de Alzheimer (DA) leve e moderada se mostram sensíveis à tarefa de compreensão de leitura textual, analisaram-se 40 idosos: 25 com DAs prováveis, sendo 12 leves e 13 moderados; e 15 sem demência, com escolaridade de 4 anos ou mais. Os pacientes foram avaliados através do Mini-Exame do Estado Mental (MEEM), Questionário Sociodemográfico, Escala Reduzida de Depressão Geriátrica da Yesavage (GDS-15) e quatro histórias, com quatro frases cada, as quais apresentavam estrutura textual descritiva e narrativa. A compreensão textual mostrou ser uma tarefa sensível aos participantes com demência, cujo desempenho foi significativamente pior do que o dos idosos saudáveis. Não houve diferença estatisticamente significativa quanto às estruturas textuais das histórias. Contudo, à medida que aumentaram os elementos de estrutura narrativa nas histórias, os participantes sem demência e os com demência leve apresentaram melhora na recordação. Os tipos de acréscimos às histórias mais freqüentes no grupo com DA foram reconstrução e inferência. Os resultados sugerem que a avaliação das habilidades lingüísticas pode auxiliar no diagnóstico diferencial precoce da Demência.

Palavras-chave: Demência de Tipo Alzheimer. Compreensão textual. Memória. Linguagem.


Abstract: The task of recall stories presents a difference between the elderly with dementia and the ones without dementia because the first can remember a greater number of information than the latter. This study aimed to verify if patients with mild or moderate dementia are sensible to the task of textual reading comprehension since the first stages of the disease 40 elderly patients were analyzed: 25 with probable AD, from which 12 were mild and 13 were moderate, and 15 without dementia, with a minimum schooling of 4 years. The patients were evaluated through the MEEM, Sociodemographic Questionary and the GDS-15, besides four stories, each with four sentences, which presented a narrative and descriptive textual structure. The textual comprehension showed to be a sensitive task to the patients with dementia, whose performance was significantly worse than the one of the healthy elderly. There was no statistically significant difference regarding the textual structures of the stories. However, as the elements of narrative structure in the stories increased, the participants without dementia and the ones with mild dementia showed an improvement in remembering the stories. The kinds of additions to the stories that the patients with AD made more frequently were reconstruction and inference. The results suggest that the evaluation of the linguistic abilities may help in the early differential diagnosis of dementia.

Keywords: Alzheimer’s disease. Textual comprehension. Memory. Language.

Palavras-chave


Demência de Tipo Alzheimer. Compreensão textual. Memória. Linguagem. Alzheimer’s disease. Textual comprehension. Memory. Language.

Texto completo:

PDF


Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2