ASSOCIAÇÃO ENTRE A AUTOPERCEPÇÃO DO ENVELHECIMENTO E A AUTOPERCEPÇÃO DA SAÚDE

Patrícia Galdino de Andrade Wollmann, Stéfane Araújo Coelho, Laura Garcia Boaventura, Beatriz Guimarães Murici, Geórgia Danila Fernandes D’Oliveira, Gislane Ferreira de Melo

Resumo


A autopercepção da saúde é um determinante multidimensional e subjetivo do indivíduo para análise de sua própria saúde, considerado um fator para evidências de declínio funcional e de mortalidade. O objetivo deste estudo foi verificar a associação da autopercepção do envelhecimento e autopercepção da saúde. Trata-se de um estudo com delineamento transversal, descritivo e de associação. A amostra foi constituída de 224 indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos, de ambos os sexos, sendo 64,4% indivíduos femininos e 35,5% masculinos, todos residentes no Distrito Federal. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário sociodemográfico e pelo Questionário de Autopercepção do Envelhecimento (QAPE), versão brasileira. Foram realizadas análises descritivas, comparativas de grupo e correlações. Verificou-se que não ocorreu diferença estatística significativa entre a autopercepção do envelhecimento e a autopercepção da saúde, contudo, os dados demonstram que quanto melhor a autopercepção da saúde, melhor a autopercepção do envelhecimento.


Palavras-chave


Autopercepção de Saúde; Autopercepção do Envelhecimento; Envelhecimento Ativo

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Luciana Correia et al. A influência das doenças crônicas na capacidade funcional dos idosos do Município de São Paulo, Brasil The effect of chronic diseases on functional status of the elderly living in the city of São Paulo, Brazil. Caderno de Saúde Pública, v. 23, n. 8, p. 1924-1930, 2007.

BARKER, Maja et al. Cross-sectional validation of the Aging Perceptions Questionnaire: a multidimensional instrument for assessing self-perceptions of aging. BMC Geriatrics, v. 7, n. 1, p. 9, 2007.

CIOSAK, Suely Itsuko et al. Senescência e senilidade: novo paradigma na atenção básica de saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. spe2, p. 1763-1768, 2011.

CARDOSO, Maria Cristina Almeida Freitas et al. Análise da capacidade funcional dos idosos de Porto Alegre e sua associação com autopercepção de saúde. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v. 17, n. 1, 2012.

COSTA, Letícia Casado; THULER, Luiz Claudio Santos. Fatores associados ao risco para doenças não transmissíveis em adultos brasileiros: estudo transversal de base populacional. Revista Brasileira Est Pop, v. 29, n. 1, p. 133-145, 2012.

FECHINE, Basílio Rommel Almeida; TROMPIERI, N. O. Processo de Envelhecimento: As principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. Revista Cientifica Internacional, v. 1, n. 7, p. 106-194, 2012.

FERREIRA, Olívia Galvão Lucena et al. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto Contexto Enferm, v. 21, n. Supl 3, p. 513-8, 2012.

FIEDLER, Mariarosa Mendes; PERES, Karen Glazer. Capacidade funcional e fatores associados em idosos do Sul do Brasil: um estudo de base populacional Functional status and associated factors among the elderly in a southern Brazilian city: a population. Caderno de saúde pública, v. 24, n. 2, p. 409-415, 2008.

FREITAS, Daniela Helena Machado de et al. Autopercepção da saúde e desempenho cognitivo em idosos residentes na comunidade. Revista de psiquiatria clínica (São Paulo), v. 37, n. 1, p. 32-35, 2010.

GONÇALVES, Cidália Domingues. ENVELHECIMENTO BEM-SUCEDIDO, ENVELHECIMENTO PRODUTIVO E ENVELHECIMENTO ATIVO: REFLEXÕES. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v. 20, n. 2. 2015.

GUERRA, A. C. L. C.; CALDAS, Célia Pereira. Dificuldades e recompensas no processo de envelhecimento: a percepção do sujeito idoso. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, n. 6, p. 2931-2940, 2010.

NUNES, Ana Paula Nogueira; BARRETO, Sandhi Maria; GONÇALVES, Luana Giatti. Relações sociais e autopercepção da saúde: Projeto Envelhecimento e Saúde. Revista brasileira de epidemiologia, v. 15, n. 2, p. 415-428, 2012.

ONU - United Nations. Department of Economic and Social Affairs. Population division. World Population Prospects: The 2008 revision: highlights. Key findings. New York: United Nations; 2009. Working paper No. ESA/P/WP.210. p. IX-XIII. [107p.].

OMS - World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde / World Health Organization; tradução Suzana Gontijo. – Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2005. 60p.: il.

OFSTEDAL, M. B. et al. Self-assessed health expectancy among older Asians: a comparison of Sullivan and multistate life table methods. Ann Arbor: University of Michigan, Population Studies Center, p. 03-60, 2002.

RABELO, D. F. et al. Qualidade de vida, condições e autopercepção da saúde entre idosos hipertensos e não hipertensos. Kairós. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde. ISSN 2176-901X, v. 13, n. 2, 2011.

RODRIGUES, Lizete de Souza; SOARES, Geraldo Antônio. Velho, idoso e terceira idade na sociedade contemporânea. Revista ágora, n. 4, 2006.

ROCHA, Laura Maria Brenner Ceia Ramos Mariano da; GOMES, Irênio; SCHWANKE, Carla Helena Augustinl. Translation and cross-cultural adaptation of the APQ – Aging Perceptions Questionnaire to Brazilian Portuguese. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 233-242, 2012.

ROCHA, M. P.; VIEBIG, R. F.; LATTERZA, A. R.. Imagem corporal em idosos: influências dos hábitos alimentares e da prática de atividade física. Lecturas Educación Física y Deportes (Buenos Aires), v. 15, p. 1-1, 2012.

RIBEIRO, Liliane da Consolação Campos; ALVES, Pâmela Braga; DE MEIRA, Elda Patrícia. Percepção dos idosos sobre as alterações fisiológicas do envelhecimento-DOI: 10.4025/cienccuidsaude. v8i2. 8202. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 8, n. 2, p. 220-227, 2009.

SILVA, Thiago Rodrigo da; MENEZES, Paulo Rossi. Autopercepção de saúde: um estudo com idosos de baixa renda de São Paulo. Revista de Medicina, v. 86, n. 1, p. 28-38, 2007.

SILVEIRA, Erika Aparecida; DALASTRA, Luana; PAGOTTO, Valéria. Polypharmacy, chronic diseases and nutritional markers in community-dwelling older. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 17, n. 4, p. 818-829, 2014.

TEIXEIRA, Selena Mesquita de Oliveira et al. REFLEXÕES ACERCA DO ESTIGMA DO ENVELHECER NA CONTEMPORANEIDADE. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v. 20, n. 2. 2015.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2