AUTOPERCEPÇÃO DE SAÚDE DE IDOSAS PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS E FATORES ASSOCIADOS

Emanuelly Casal Bortoluzzi, Julia Pancotte, Marlene Doring, Daniela Bertol Graeff, Ana Sant'Anna Alves, Marilene Rodrigues Portella, Helenice de Moura Scortegagna, Bernadete Maria Dalmolin

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar a autopercepção de saúde de idosas praticantes de atividade física e fatores associados. Foi realizado um estudo transversal, recorte do estudo longitudinal do Centro de Referência e Atenção ao Idoso, no período de 2014 e 2015. Aplicou-se um questionário estruturado com questões sociodemográficas, comportamentais e clínicas. Participaram idosas que realizavam uma ou mais oficinas de exercícios físicos, como alongamento, ioga, pilates no solo, treinamento funcional e dança, no mínimo duas vezes por semana, há pelo menos um mês. Realizou-se análise descritiva e inferencial. Participaram do estudo 293 idosas, com idade média de 69 anos (± 6,9). A autopercepção de saúde foi relatada como positiva por 75,4% das idosas, e com relação a autopercepção de saúde negativa, não houve referência a saúde muito ruim e menos de 1% para saúde ruim. Na comparação de sua saúde no dia da entrevista com a de um ano atrás, 29,5% consideraram melhor e 56,8% igual, comparando com pessoas da mesma idade 62,5% referem estar melhor e 33,8% igual. Quanto a doenças crônicas, a maior frequência foi de hipertensão (58,6%), seguida por arritmia cardíaca (17,1%) e diabetes (11%). Houve associação entre autopercepção de saúde negativa e escolaridade, diabetes, arritmia cardíaca e uso de medicação. Conclui-se que a autopercepção de saúde pode ser influenciada pela escolaridade, condições clínicas, adesão e continuidade da prática de exercícios físicos em grupo.


Palavras-chave


Envelhecimento; Atividade física; Saúde da Mulher; Autopercepção

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. C.; RODRIGUES, R. N. Determinantes da autopercepção de saúde entre idosos do Município de São Paulo, Brasil1. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health, v. 17, n. 5/6, p. 333-341, 2005.

BORGES, A. M. et al. Autopercepção de saúde em idosos residentes em um município do interior do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 17, n. 1, p. 79-86, 2014.

CAMPOS, A. C. V. et al. Gender differences in predictors of self-rated health among older adults in Brazil and Chile. BMC public health, v. 15, n. 1, p. 1, 2015.

CARDOSO, Joana Darc Chaves et al. Poor self-rated health and associated factors among elderly urban residents. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 35, n. 4, p. 35-41, 2014.

CHO, K. The Positive Effect of Physical Activity on Health and Health-related Quality of Life in Elderly Korean People—Evidence from the Fifth Korea National Health and Nutrition Examination Survey. Journal of Lifestyle Medicine, v. 4, n. 2, p. 86- 94, 2014.

CONFORTIN, S. C. et al. Autopercepção positiva de saúde em idosos: estudo populacional no Sul do Brasil. Cad. saúde pública, v. 31, n. 5, p. 1049-1060, 2015.

FORTALEZA, A. C. S. et al. Gordura corporal total e do tronco e o desempenho da marcha em mulheres na menopausa. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 36, n. 4, p. 176-181, 2014.

GILTAY, E. J.; VOLLAARD, A. M.; KROMHOUT, D. Self-rated health and physician-rated health as independent predictors of mortality in elderly men. Age and ageing, afr 161, p. 1-6, 2011.

HU, W.; LU, J. Associations of chronic conditions, APOE4 allele, stress factors, and health behaviors with self-rated health. BMC geriatrics, v. 15, n. 1, p. 1, 2015.

LEE, J. A.; PARK, J. H; KIM, M. Social and Physical Environments and Self-Rated Health in Urban and Rural Communities in Korea. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 12, n. 11, p. 14329-14341, 2015

MACEDO, R. M. et al. Nível de atividade física de idosos participantes de um programa de prevenção de doença cardiovascular. ASSOBRAFIR Ciência, v. 6, n. 3, p. 11-20, 2016.

NUNES, A. P. N.; BARRETO, S. M.; GONÇALVES, L. G. Relações sociais e autopercepção da saúde: Projeto Envelhecimento e Saúde. Rev. bras. epidemiol, v. 15, n. 2, p. 415-428, 2012.

OMS - ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Mundial da Saúde; 2005.

PAGOTTO. V.; BACHION, M. M.; SILVEIRA, E. A. Autoavaliação da saúde por idosos brasileiros: revisão sistemática da literatura. Rev Panam Salud Publica, v. 33, n. 4, p. 302-310, 2013.

PASKULIN, L. M. G.; VIANNA, L. A. C. Perfil sociodemográfico e condições de saúde auto-referidas de idosos de Porto Alegre. Rev Saúde Pública, v. 41, n. 5, p. 757-768, 2007.

PILGER, C.; MENON, M. H.; MATHIAS, T. A. F. Características sociodemográficas e de saúde de idosos: contribuições para os serviços de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 19, n. 5, p. 1230-1238, 2011.

RIGO, M. L. N. R.; TEIXEIRA, D. C. Efeitos da atividade física na autopercepção de bem-estar de idosas que residem sozinhas e acompanhadas. UNOPAR Científica, Ciências Biológicas e da Saúde, v. 7, n. 1, p. 13-20, 2005.

ROCCA, P. et al. Is the association between physical activity and healthcare utilization affected by self-rated health and socio-economic factors? BMC public health, v. 15, n. 1, p. 737-744, 2015.

ROCHA, S. V.; FREIRE, M. O. Nível de atividade física habitual e autopercepção do estado de saúde em idosas no município de Jequié-Bahia. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 20, n. 3, p.161-167, 2007.

SILVA, M. P.; BARROS, C. A. M. Benefícios de um programa de exercícios funcionais no tratamento da osteoartrite de joelho. SAÚDE, v. 1, n. 1, p. 23-42, 2012.

SILVA, R. J. S. et al. Prevalência e fatores associados à autopercepção negativa da saúde em pessoas idosas no Brasil. Revista Bras. de Epidemiol., v. 15, n. 1, p. 49-62, 2012.

SIMON, J. G. et al. How is your health in general? A qualitative study on self-assessed health. The European Journal of Public Health, v. 15, n. 2, p. 200-208, 2005.

SIMS, S. T. et al. Changes in physical activity and body composition in postmenopausal women over time. Medicine and science in sports and exercise, v. 45, n. 8, p. 1486-1492, 2013.

TAVARES, D. M. S. et al. Comparação das características sociodemográficas de saúde e qualidade de vida de idosos rurais segundo sexo. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde. v. 2, n. 1, p. 32-46, 2013.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2