ESTADO NUTRICIONAL, ALIMENTAÇÃO E SAÚDE ORAL EM IDOSOS DE UM MUNICÍPIO DA SERRA GAÚCHA

Aline Piccoli Menin, Gabriela Néspolo, Neide Maria Bruscato, Emílio Hideyuki Moriguchi, Juliana Rombaldi Bernardi, Josiane Siviero

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o estado nutricional, alimentação e a saúde oral de idosos de um município da Serra Gaúcha, Rio Grande do Sul, Brasil. Estudo transversal descritivo e analítico quantitativo, com dados primários. As variáveis analisadas foram: gênero; idade (≥60 anos); peso; altura; índice de massa corporal, circunferência da cintura, circunferência do braço e circunferência da panturilha. Para avaliação do estado nutricional utilizou-se a Mini Avaliação Nutricional, o consumo alimentar foi pelo Questionário de Frequência Alimentar, (SISVAN). Em relação à saúde bucal, aplicou-se o GOHAI  e o EAT-10. Dos 135 idosos avaliados, 71,9% eram mulheres. A obesidade abdominal foi prevalente nas mulheres (p=0,037) e o risco de desnutrição pela MAN quanto à prevalência de baixo peso pelo IMC aumentaram com a idade (p=0,021 e p=0,039). Para os demais métodos de avaliação nutricional, as diferenças não foram estatisticamente significativas. Ainda pela MAN, houve diferença significativa, onde as mulheres se perceberam com melhor saúde (p=0,030). Ao investigar a saúde oral, não houve diferença significativa (p>0,05). O consumo de frutas frescas (p=0,006) foi maior nas mulheres e batata/salgados fritos (p=0,001) foi mais consumido pelos homens. Não houve associação significativa entre os resultados da saúde oral com o consumo alimentar (p>0,05). Torna-se necessário reforçar orientações sobre alimentação saudável, para que os idosos possam adequar sua alimentação e prevenir problemas advindos de uma má nutrição, bem como, outros estudos devem ser realizados com estas variáveis.

Palavras chaves: Estado nutricional, alimentação, saúde oral, consumo alimentar.


Palavras-chave


Envelhecimento; terceira idade.

Texto completo:

PDF

Referências


ATCHISON KA; Dolan TA.. Development of the geriatric oral health assessment index, J Dent Educ., n.54, p.680–686, 1990.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2015.

BASSLER TC; Lei DLM. Diagnóstico e monitoramento da situação nutricional da população idosa em município da região metropolitana de Curitiba (PR). Rev. Nutr., v.21, n. 3, p. 311-321, 2008.

BELAFSKY P. C. et al. Validity and reliability of the Eating Assessment Tool (EAT- 10). The Annals of Otology, Rhinology, and Laryngology, Los Angeles, v. 117, n. 12, p. 919-924, 2008.

BEZERRA I. N et al. Consumo de alimentos fora do domicílio no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 47 n. 1, p. 200-211, 2013.

BRASÍLIA, DF. Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF). Saúde do idoso: “A melhor idade é aquela que você tem” Disponível em: . Acesso em 07 abr. 2015.

BRAZ M. A construção da subjetividade masculina e seu impacto sobre a saúde do homem: reflexão bioética sobre justiça distributiva. Ciência & Saúde Coletiva, v.10, n.1, p.97-104, 2005.

BRITO S.; DREYER, E. Terapia Nutricional – Condutas do nutricionista. Grupo de Apoio Nutricional Equipe Multiprofissional de terapia nutricional GAN/EMTN – HC (Hospital de Clinicas), 2003.

BUSNELLO FM. Aspectos nutricionais no processo do envelhecimento. São Paulo: Atheneu. 2007.

CAMPOS MAG; Pedroso ERP; Lamounier JA; Colosimo EA; Abrantes MM. Estado nutricional e fatores associados em idosos, Rev Assoc Méd Bras, v. 52, n.4, p. 214-221, 2006.

CARVALHO; Catarina; Manso; Ana C; Escoval; Ana; Salvado; Francisco; Nunes; Carla. "Tradução e validação da versão portuguesa do Geriatric Oral Health Assessment Index (GOHAI)", Revista Portuguesa de Saúde Pública, v 31, n 2, p. 166 – 172, 2013.

CASSOL Karlla; GALLI; Juliana Ferreira Marcolino; ZAMBERLAN; Nelma Ellen; DASSIE-LEITE Ana Paula; Qualidade de vida em deglutição em idosos saudáveis. J. Soc. Bras. Fonoaudiol., vol.24, n.3, p. 223-232, 2012.

COSTA-JUNIOR F.M. e MAIA A. C. B.; Concepções de Homens Hospitalizados sobre a Relação entre Gênero e Saúde, Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 1, p. 55-63, Jan./Mar. 2009.

DACRUZ IBM; Moriguchi EH. Projeto Veranópolis: reflexos sobre envelhecimento bem sucedido, Oficina da Longevidade; Porto Alegre, p.138, 2002.

DYE BA, Tan S; Smith V; Lewis BG; Barker LK; Thornton-Evans G. Trends in oral health status: United States, 1988-1994 and 1999-2004. Vital Health Stat, v 11; n 248, p.1-92, 2007.

FELIX Luciana Nabuco; SOUZA; Elizabeth Maria Talá de. Avaliação nutricional de idosos em uma instituição por diferentes instrumentos. Rev. Nutr., vol.22, n.4, p. 571-580, 2009.

FIGUEIREDO IC; Jaime PC; Monteiro CA. Fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras em adultos da cidade de São Paulo, Rev. Saúde Pública, v. 42, p. 777-785, 2008.

GADENZ Sabrina Dalbosco; BENVEGNU Luís Antônio. Hábitos alimentares na prevenção de doenças cardiovasculares e fatores associados em idosos hipertensos. Ciênc. saúde coletiva, v.18, n.12, p. 3523-3533, 2013.

GOMES R; Nascimento E.F; Araújo F; Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saude Publica, v.23, n.3, p.565-74, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação Disponível em: . Acesso em 07 abr. 2015.

Jaime PC; Monteiro CA. Fruit and vegetable intake by Brazilian adults, Cad. Saúde Pública., v. 21, n.1, p.19-24, 2005.

LEWANDOWSKI A; Bós A; Gonçalves J. Estado de saúde bucal e necessidade de prótese dentária em idosos longevos. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent, v. 68, n. 2, p.155-158, abr./jun., 2014.

LIPSCHITZ DA. Screening for nutritional status in the elderly. Prim Care. v. 21, p. 55-67, 1994.

MIRANDA; Daniela Elias Goulart de Andrade. Manual de avaliação nutricional do adulto e do idoso, Rubio, Rio de Janeiro, p.119, 2012.

MORAIS FTD; Campos IC; Lessa NMV. Diagnóstico Nutricional em idosos hospitalizados. Nutrir Gerais, v. 4, n.7, p. 637-651, 2010.

MORYA S; Tei K; Yamazaki Y; Hata H; Muramatsu M; Kitagawa Y. Relationships between self-assessed masticatory ability and higher level functional capacity among community-dwelling young-old persons. Int J Gerontol, v.6, n.1, p.33-37, 2012.

NAJAS MS; Nebuloni C C.; In: Ramos LR; Toniolo Neto J. Avaliação Nutricional, Geriatria e Geontologia. Barueri, Manole,. 1ª ed, p. 299, 2005.

NASCIMENTO CM; Ribeiro AQ; Cotta RMM; Acurcio FA; Peixoto SV; Priore SE, et al. Estado nutricional e fatores associados em idosos do Município de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública, v. 12, n. 7, :p. 2409, 2011.

NHANES. Banco de dados, EUA. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2015.

NUNES CIP; Abegg C. Factors associated with oral health perceptions in older Brazilians, Gerodontology, v.25, p.42-48, 2008.

PALMER C, D, Burnett; B Dean: It’s More than Just Candy: Important Relationships between Nutrition and Oral Health. Nutrition Today, v 45, n. 4, p.154-166. July-August 2010.

ROFES L. et al. Sensitivity and specificity of the Eating Assessment Tool and the Volume-Viscosity Swallow Test for clinical evaluation of oropharyngeal dysphagia. Neurogastroenterology and Motility, Osney Mead, v. 26, n. 9, p. 1256-1265, 2014.

ROSSI Luciana; CARUSO Lúcia; GALANTE Andrea Polo. Avaliação Nutricional: Novas perspectivas, Centro Universitário São Camilo, São Paulo, 2008.

SANTOS Glenda Dias dos; RIBEIRO Sandra Maria Lima. Aspectos afetivos relacionados ao comportamento alimentar dos idosos frequentadores de um centro de convivência. Rev. bras. geriatr. gerontol, v.14, n.2, p. 319-328. 2011.

SILVA DD; Sousa MLR; Wada RS. Autopercepção e condições de saúde bucal em uma população de idosos. Cad. Saúde Pública Rio de Janeiro, n. 21, p. 1251–1259, 2005.

SILVA, S.R.C da; CASTELLANOS FERNANDES, R.A. Autopercepção das condições de saúde bucal por idosos. Revista de Saúde Pública, v.35, n.4, p.349-355, 2001.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARIDOLOGIA IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, 2007.

SPEROTTO FM; Spinelli RB. Avaliação nutricional em idoso independentes de uma instituição de longa permanênia no município de Erechim - RS. Perspectiva, Erechim, v.34, n.125, p. 105-116, 2010.

TRAMONTINO VS; Nuñez JMC; Takahashi JMFK; Santos-Daroz, CB; Rizzatti Barbosa, CM. Nutrição para idosos. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo, v 21, n. 3, p. 258-267, set./dez. 2009.

VAN DER BILT A; Assessment of mastication with implications for oral rehabilitation: a review. J oral rehabil; v 38, n.10, p 754-80, 2011.

VENTURINI, C. D. et al. Prevalência de obesidade associada à ingestão calórica, glicêmica e perfil lipídico em uma amostra populacional de idosos do Sul do Brasil, Revista de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 591-601, 2013.

WHO, World Health Organization. “Guia para o Dia Mundial da Saúde”, Disponível em:. Acesso em: 07 abr. 2014.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2