RELAÇÃO DO PADRÃO DE MARCHA ASSOCIADA COM A APTIDÃO FÍSICA E A CAPACIDADE FUNCIONAL DE RESIDENTES DE INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA

Diana Carolina Gonzalez Beltran, João Pedro da Silva Junior, Rafael Benito Mancini, Timóteo Leandro Araújo, Sandra Marcela Mahecha Matsudo

Resumo


Introdução: A locomoção do ser humano precisa da interação
músculo-esquelética e neurológica para prover as demandas da
idade, quando apresentadas alterações pode levar a problemas importantes de mobilidade e capacidade funcional de idosos institucionalizados. Objetivo: Verificar e analisar a associação da marcha, capacidade funcional e aptidão física em idosos institucionalizados. Métodos: foram avaliados 52 mulheres e 17 homens (66,6-85,4 anos) moradores de instituições de longa permanência de SCS-SP. As variáveis mensuradas foram: espaço-temporais da marcha (marcação plantar), capacidade funcional (mobilidade, equilíbrio dinâmico e estático), aptidão física (peso, estatura, força muscular de membros inferiores e superiores, potência aeróbica). A análise estatística aplicada foi a regressão linear com nível de significância adotado de p<0,05. Resultados: foi encontrado que massa muscular, força muscular, potência aeróbica, cadência e amplitude de passo estão correlacionadas positivamente e fortemente com o comprimento da passada e do passo, largura da passada e ângulo do pé. Conclusão: houve uma associação significativa entre as variáveis espaço-temporais da marcha, com a aptidão física e a capacidade funcional dos idosos institucionalizados de São Caetano do Sul.

Palavras chaves= Marcha, Idoso, Aptidão física, equilíbrio postural.

Palavras-chave


Marcha; Idoso; Aptidão física; equilíbrio; postural.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

CESARI, Matteo et al. Prognostic Value of Usual Gait Speed in Well-Functioning Older People—Results from the Health, Aging and Body Composition Study. Journal of the American Geriatrics Society, v. 53, n. 10, p. 1675-80, Oct, 2005.

VAN IERSEL, Marianne et al. Gait velocity and the Timed-Up-and-Go test were sensitive to changes in mobility in frail elderly patients. Journal of Clinical Epidemiology, v. 61, n. 2, p. 186-191, Feb, 2008.

GUIMARÃES, LHCT et al. Comparação da propensão de quedas entre idosos que praticam atividade física e idosos sedentários. Revista neurociências, v. 12, n. 2, p. 68-72, abril/juno, 2004.

TEIXEIRA, Denilson et al. Efeitos de um programa de exercício físico para idosas sobre variáveis neuro-motoras, antropométrica e medo de cair, Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, Paraná, v. 21, n. 2, p. 107-120. May, 2007.

PROVINCE, Michael A et al. The Effects of Exercise on Falls in Elderly Patients: A Preplanned Meta-analysis of the FICSIT Trials. American Medical Association JAMA, v. 273, n. 17, p. 1341-1347. 1995

VAN DEN BOGERT, Antonie Johannes et al. Response time is more important than walking speed for the ability of older adults to avoid a fall after a trip. Journal of Biomechanics, v. 35, n. 2, p. 199-205. Feb, 2002.

BAYARRE VEA, Hector et al. Prevalencia de discapacidad física en ancianos del Municipio Playa. Revista Cubana Salud Pública, Ciudad de La Habana, v. 25, n. 1, p. 16-29, ene.-jun. 1999.

NOVAES, Rômulo D et al. Usual gait speed assessment in middle aged and elderly Brazilian Subjects. Brazilian Journal of Physical Therapy. São Carlos, v. 15, n. 2, p. 117-122, Mar./Apr. 2011.

MACIEL, Álvaro Campos Cavalcanti et al. Fatores associados à alteração da mobilidade em idosos residentes na comunidade. Revista Brasileira de Fisioterapia. Rio Grande do Norte, v. 9, n. 1, p. 17-23, setembro 2005.

WOO, Jeanne et al. Walking Speed and Stride Length Predicts 36 Months Dependency, Mortality, and Institutionalization in Chinese Aged 70 And Older. Journal of the American Geriatrics Society, v. 47, n. 10, p. 1257-1260, October, 1999.

DEL DUCA, Giovâni Firpo et al. Indicadores da institucionalização de idosos: estudo de casos e controles. Revista Saúde Pública, Santa Catarina, v. 46, n. 1, p. 147-153, Agosto. 2012.

CAMARANO, Ana A mélia et al. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 233-235, jan/june, 2010.

DAZA, Javier Lesmes. Evaluación clinico - funcional del movimiento corporal humano. 1ª edicion. Medica Panamericana; 2007, p. 349.

NORDIN, Margareta. Biomecânica básica do Sistema Musculoesquelético. 3ª ediçao, Guanabara Koogan; 2008, p. 396.

MCGRATH, Michael et al. A Forward Dynamic Modelling Investigation of Cause-and-Effect Relationships in Single Support Phase of Human Walking. Hindawi Publishing Corporation - Computational and Mathematical Methods in Medicine, Salford, v. 2015, p. 1-9, april, 2015.

HOLLMAN, John H et al. Normative spatiotemporal gait parameters in older adults. Gait & Posture, v. 34, n. 1, p. 111-118. May, 2011.

NAGASAKI, Hiroshi et al. Walking Patterns and Finger Rhythm of Older Adults. Percentual and motor skills, v. 82, n. 2, p. 435-447, Apr, 1996.

MATSUDO, Sandra Marcela Mahecha. Avaliação do Idoso. Física & Funcional. 3 ed. Santo Andre: Gráfica Mali; 2010. 264 p.

CÁMARA, Jesus. Análisis de la marcha: sus fases y variables espacio-temporales. Entramado, España, v. 7, n. 1, p. 160-173, Enero/Junio, 2011.

MUIR Brittney C et al. Gait initiation: The first four steps in adults aged 20–25 years, 65–79 years, and 80–91 years. Gait & Posture. v. 39, n. 1, p. 490-494. Sep, 2014.

ORR, Rhonda. Contribution of muscle weakness to postural instability in the elderly. A systematic review. European Journal of Physical and Rehabilitation Medicine, v. 46, n.2, p. 183-220, 2010.

RIKLI, Roberta E et al. Development and validation of criterion-referenced clinically relevant fitness standards for maintaining physical independence in later years. Gerontologist, California, v. 53, n. 2,p.255-267. Feb/Apr, 2012.

ROSE, Debra J et al. Predicting the probability of falls in community-residing older adults using the 8 foot up and go: a new measure of funtional mobility. Journal of Aging & Physical Activity. California, v. 10, p. 466-475. 2002.

FARINATTI, Paulo de Tarso et al. Amplitude e câdencia do passo e componentes da aptidão muscular em idosos: um estudo correlacional multivariado. Revista Brasileira de Medicina e Esporte, v. 10, n. 5, p. 389-394. Set/Out, 2004.

VERLINDEN, Vincentius J. A. Gait shows a sex-specific pattern of associations with daily functioning in a community-dwelling population of older people. Gait & Posture, v. 41, n. 1, p. 119-124. January, 2015.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2