A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA DO PILATES NA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS: ESTUDO CLÍNICO E RANDOMIZADO

Fabiana Roveda Nery, Kátia Cristina Ugolini Mugnol, Vivian Bertoni Xavier, Vera Lucia dos Santos Alves

Resumo


O treinamento físico vem se mostrando efetivo para minimizar as consequências deletérias do processo de envelhecimento, porém o Pilates, ainda não foi foco de estudos controlados em idosos, assim, objetivamos avaliar o impacto do método Pilates na qualidade de vida de indivíduos na terceira idade. Participaram deste estudo prospectivo e randomizado, 44 voluntários, acima de 60 anos, de ambos os sexos, divididos em dois grupos: controle (22 idosos que não realizaram exercícios) e intervenção (22 idosos que realizaram um protocolo constituído por exercícios com o método Pilates). O protocolo no grupo intervenção foi aplicado por um fisioterapeuta, duas vezes por semana, com sessões de 60 minutos mantidas por dois meses. Para análise da qualidade de vida foi aplicado antes e após o protocolo os questionários WHOQOL-BREF e OLD em ambos os grupos. Após a realização dos dois meses de protocolo podemos observar o aumento da pontuação de todos os domínios dos questionários de qualidade de vida no grupo de intervenção concluindo que o protocolo pode ser um produto importante influenciando positivamente a qualidade de vida da população idosa submetida ao método Pilates.


Palavras-chave


idoso, qualidade de vida, exercício, técnicas de exercício e de movimento

Texto completo:

PDF

Referências


BLUM, Charles. Chiropratic and pilates therapy for the treatment of adults scoliosis. Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics, Califórnia, v. 25, n. 4, p. 1-8, Mayo. 2002.

BROVOLD, Therese et al. Older adults recently discharged from the hospital: effects of aerobic interval exercise on health-related quality of life, physical fitness, and physical activity. Journal American Geriatric, Oslo, v. 61, n. 9, p.1580-1585, September. 2013.

BROWN, Cynthia; FLOOD, Kellie. Mobility limitation in the older patient: a clinical review. JAMA, Chicago, v. 310, n. 11, p. 1168-1177, September. 2013.

FERREIRA, Cristiane Bainchetti et al. O método pilates sobre a resistência muscular localizada em mulheres adultas. Motricidade, Fortaleza, v. 3, n. 4, p. 76-81, Janeiro. 2007.

FRANCHI, Kristiane Mesquita Barros; MONTENEGRO Renan Magalhães. Atividade física: uma necessidade para a boa saúde na terceira idade. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 18, n. 3, p. 152-156, Agosto. 2005.

GALISTEU, Kátia et al. Qualidade de vida de idosos de um grupo de convivência com a mensuração da escala de Flanagan. Arquivos Ciências e Saúde, São Jose do Rio Preto, v. 13, n. 4, p. 209-214, Outubro-Dezembro. 2006.

GLADWELL, Valerie et al. Does a program as Pilates improve chronic non-specific low back pain?. Journal of Sports Rehabilitation, Ohio. v. 15, n. 4, p. 338-350, November. 2006.

HERNANDES, Elisabete Souza Gagliari; BARROS, Jonatas de França. Efeitos de um programa de atividade física e educacionais para idosos sobre o desempenho em testes de atividades da vida diária. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, v. 12, n. 2, p. 43-50, Junho. 2004.

IREZ, Gonul Babayigit et al. Integrating pilates exercise into an exercise program for 65 year-old women to reduce falls. Journal Sports Science and Medicine, Bursa, v. 10, n. 1, p. 105-111, November. 2010.

LACOURT, Marcelle Xavier; MARINI, Lucas Lima. Decréscimo da função muscular decorrente do envelhecimento e a influência na qualidade de vida do idoso: uma revisão da literatura. Revista brasileira do envelhecimento humano, Passo Fundo, v. 3, n. 1, p. 114-121, Janeiro-Julho. 2006.

MATSUDO, Sandra Mahesha et al. Atividade física em envelhecimento: aspectos epidemiológicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v. 7, n. 1, p. 1-13, Janeiro. 2001.

MINGHELLI, Beatriz et al. Comparação dos níveis de ansiedade e depressão entre idosos ativos e sedentários. Revista Psiquiatria Clínica, São Paulo, v. 40, n. 2, p. 71-76, Fevereiro. 2013.

MOTA, Jorge et al. Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em programas regulares de atividade física. Revista Brasileira Educação Física Esportiva, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 219-225, Julho-Setembro. 2006.

PENEDO, Frank et al. Exercise and well-being: a review of mental and physical health benefits associated with physical activit. Journal Psychiatric Practice, Boston, v. 18, n. 2, p.189-193, March. 2005.

PHROMPAET Sureeporn et al. Effects of pilates training on lumbo-pelvic stability and flexibility. Asian Journal Sports Medicine, Tehran, v. 2, n. 1, p. 16-22, March. 2011.

POLLOCK, Michael et al. Resistance exercise in individuals with and without cardiovascular disease. Circulation, Chicago, v. 101, n. 7, p. 828-833. February. 2000.

ROGERS, Kate; GIBSON, Ann. Eight-week traditional mat pilates training-program effects on adult fitness characteristics. Research quaterly for exercise and sport, Boston, v. 80, n. 3, p. 569-574, September. 2009.

RODRIGUES, Brena et al. Pilates method in personal autonomy, static balance and quality of life of elderly females. Journal of Bodywork and Movement Therapies, London, v. 14, n. 2, p. 195-202, April. 2010.

TAVARES, Darlene; DIAS, Flávia. Capacidade funcional, morbidades e qualidade de vida de idosos. Texto Contexto – Enfermagem, Florianópolis, v. 21, n.1, p. 112-20, Janeiro-Março. 2012.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2