PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E CLÍNICO DA POPULAÇÃO DE IDOSOS COM TRANSTORNO DEPRESSIVO

Viviane Gregoleti, Silvana Alba Scortegagna

Resumo


Com o aumento da expectativa de vida, a depressão emerge como o transtorno mais frequente entre os idosos. Em países em desenvolvimento como o Brasil, esse fenômeno não tem sido suficientemente estudado para fornecer os elementos necessários ao desenvolvimento de políticas públicas adequadas à essa população. Sendo assim, este estudo objetivou identificar o perfil sociodemográfico e clínico de idosos diagnosticados com depressão assistidos em uma Unidade Básica de Saúde, do Rio Grande do Sul. Para tanto, realizou-se um levantamento nos prontuários clínicos de indivíduos com 60 anos e mais, considerando variáveis como idade, gênero, estado civil, medicação utilizada e tempo de consumo, atendidos no período de janeiro de 2013 a janeiro de 2014. Identificaram-se 144 prontuários, a maioria mulheres (72,23%), média de idade de 69,7 anos, casadas (78%). A medicação mais utilizada foi a fluoxetina (36, 12%), seguida da amitriptilina (24, 35%) e o tempo de consumo ficou entre dois a três anos (36,8%), seguida de um mês e um ano (29,87%). Desenvolver políticas públicas capazes de atender as mulheres idosas com depressão é uma necessidade premente diante das novas demandas que emergem no cenário brasileiro.

 


Palavras-chave


Saúde Pública; Ancião; Velhice; Unidade Básica de Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, Márcia Regina Martins; OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos; FACCENDA, Odival. Sintomas depressivos em idosos: análise dos itens da Escala de Depressão Geriátrica. Acta Paul Enfermagem, São Paulo, v.25, n.04, p.497-503, jan. 2012.

ARAÚJO, Lorena Aparecida de Oliveira; BACHION, Maria Márcia. Programa Saúde da Família: perfil de idosos assistidos por uma equipe. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 57, n.05, p.586-590, set./out. 2004.

BORGES, Lucelia Justino; BENEDETTI, Tania R. Bertoldo; XAVIER, André Junqueira; D'ORSI, Eleonora. Fatores associados aos sintomas depressivos em idosos: estudo EpiFloripa. Revista de Saúde Pública, v.47, n.4, p. 701-710, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. 1ª ed., v. 12. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 44 p.

CID-10/ Organização Mundial de Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. 8ª ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

FERREIRA, Pollyana Cristina dos Santos; TAVARES, Darlene Mara dos Santos. Prevalência e fatores associados ao indicativo de depressão entre idosos residentes na zona rural. Revista da Escola de Enfermagem USP, São Paulo, v.47, n.02, p. 401-407, abr. 2013

FERNANDES, Maria das Graças Melo; NASCIMENTO, Neilce Falcão de Souza; COSTA, Kátia Nêyla Freitas Mcêdo. Prevalência e determinantes de sintomas depressivos em idosos atendidos na atenção primária de saúde. Revista Rene, Fortaleza, v. 11, n. 1, p. 19-27, 2010.

FUNNELL, Emma. Depression in the elderly. InnovAiT, Liverpool, v.03, n.04, p. 199-208, abr. 2010.

FLORIANO, Petterson de Jesus; DALGALARRONDO, Paulo. Saúde mental, qualidade de vida e religião em idosos de um Programa de Saúde da Família. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v.56, n.03, p. 162-170, ago. 2007.

GAO, Sujuan et al. Correlates of depressive symptoms in rural elderly Chinese. International Journal Geriatric Psychiatry, Manchester, v. 24, n.12, p.1358- 1366, dez. 2009.

GAZALLE, Fernando Kratz; LIMA, Maurício Silva de; TAVARES, Beatriz Frank; HALLAL, Pedro Curi. Sintomas depressivos e fatores associados em população idosa no Sul do Brasil. Revista de Saúde Pública. São Paulo, v.38, n.3, p. 365-371, jun. 2004.

GAUTÉRIO, Daiane Porto, et al. The characterization of elderly medication users living in long-term care facilities. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v.46, n.06, p. 1394-1399, dez. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Porto Alegre, 2010. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=430005&idtema=16&search=rio-grande-do-sul|%C3%81gua-santa|sintese-das-informacoes> Acesso em: 06 jan. 2014.

KRONBAUER, Gláucia Andreza; OHLWEILER, Zelia Natalia Coletti; WIETZKE, Mônica; SEHNEM, Karla. Nossos ve- lhos: Perfil demográfico dos idosos de Santa Cruz do Sul. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 81-93, abr. 2009.

MACIEL, Álvaro Campos Cavalcanti, GUERRA Ricardo Oliveira. Prevalência e fatores associados à sintomatologia depressiva em idosos residentes no nordeste do Brasil. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 55, n. 01, p. 26-33, mar. 2006.

MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS. American Psychiatric Association, 5ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

MUNHOZ, Tiago Neuenfeld, et al. Sintomas depressivos em idosos residentes em áreas de atenção básica à saúde nas regiões sul e nordeste do Brasil. In: XIV ENCONTRO DE POS GRADUAÇÃO UFPEL, 2012, Pelotas. Anais Eletronicos…Pelotas: UFPEL, 2012.

OLIVEIRA, Marcos Francisco de, et al. Sintomatologia de depressão autorreferida por idosos que vivem em comunidade. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.17, n.08, p. 2191-2198, ago. 2012.

PARADELA, Emylucy. Depressão em Idosos. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ, Rio de Janeiro, v.10, n.02, p.31-40, jan./mar. 2011.

PINHEIRO, Maria Teresa da Silveira; QUINTELLA, Rogerio Robbe; VERZTMAN, Julio Sergio. Distinção teórico-clínica entre depressão, luto e melancolia. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v.22, n.2, p. 147-168, mar. 2010.

REBELO, Therezinha de Jesus; PIRES, Regina Coeli Cançado Peixoto; CARVALHO, Lilian de Almeida. Prevalência de depressão nos idosos atendidos em uma unidade de saúde pertencente à Estratégia de Saúde da Família em Nova Lima/MG. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 10, n. 1, p. 491-499, ago. 2013.

REIS, Leonardo dos; PEREIRA, Sandra; CARDOSO, Lucilene; GHERARDI-DONATO, Edilaine. Transtornos Mentais Orgânicos em um Ambulatório de Saúde Mental Brasileiro. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Braga, v.09, n. 01, p.48-53, jun. 2013.

ROCHA, Fábio Lópes; FUZIKAWA, Cíntia; RIERA, Rachel; HARA, Cláudia. Evidências sobre a combinação de antidepressivos na depressão maior. Revista Diagnóstico & Tratamento, São Paulo, v.18, n.02, p.87-93, dez. 2013.

ROCHA, Bruno Simas da; WERLANG, Maria Cristina. Psicofármacos na Estratégia Saúde da Família: perfil de utilização, acesso e estratégias para a promoção do uso racional. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.18, n.11, p.3291-3300, nov. 2013.

SOARES, Perla Figueredo Carreiro, et al. Depression in elderly cared in basic health units. Journal of Nursing UFPE, Recife, v. 7, n.09, p.5453- 5459, set. 2013.

TEIXEIRA, Marco Antônio Rotta. Melancolia e depressão: um resgate histórico e conceitual na psicanálise e na psiquiatria. Revista de Psicologia da UNESP, São Paulo, v. 04, n.01, p. 41-56, jun.2005.

TORIJA, Juan Román Urbina, et al. Síntomas depresivos en personas mayores: prevalencia y factores asociados. Gaceta Sanitaria, Barcelona, v.21, n.01, p.37-42, jan./fev. 2007.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2