O ENVELHECIMENTO NA PERCEPÇÃO DE IDOSOS QUE FREQUENTAM UMA UNIVERSIDADE ABERTA DA TERCEIRA IDADE

Gilsenir Maria Prevelato de Almeida Dátilo, Maria José Sanches Marin

Resumo


Considerando que a concepção sobre o processo de envelhecimento está associada tanto a aspectos positivos como negativos, além de sofrer influências do contexto de vida, propõe-se, no presente estudo, compreender a percepção sobre o envelhecimento por idosos que frequentam a Universidade Aberta da Terceira Idade (UNATI). Trata-se de um estudo qualitativo que utilizou um roteiro com dados sociodemográficos e uma questão aberta sobre o significado do envelhecimento. Participaram 25 idosos da UNATI da Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília. Os dados foram analisados na perspectiva interpretativa hermenêutica dialética. A maioria dos participantes são mulheres na faixa etária dos 60 a 69 anos e 40% deles contam com formação universitária. Para os participantes, o envelhecimento é percebido como um balanço entre perdas e ganhos; há a possibilidade de viver mais livremente e, por outro lado, sentem-se ameaçados pela vulnerabilidade das condições de e pela proximidade com a finitude. Como conclusão, depreende-se que as percepções desses idosos sobre o envelhecimento perpassam, ao mesmo tempo, o vivido e o imaginário e, mesmo com as perdas se evidenciando, conseguem manter-se ativos, participativos e em pleno processo de avanço do conhecimento e interação social sem desconsiderar as fragilidades e vulnerabilidades decorrentes dessa fase da vida.

 


Palavras-chave


Envelhecimento; Universidade; Educação permanente; Idoso;

Texto completo:

PDF

Referências


BALTES, Paul B.; BALTES, Margret M. Psychological perspectives on successful aging. The model of selective optimization with compensation. In: ______. (Ed.). Successful aging: perspectives from behavioral sciences. New York: Cambridge University Press, 1990. p. 1-34.

CACHIONI, Meire; BATISTONI, Samila Sathler Tavares. Bem-estar subjetivo e psicológico na velhice sob a perspectiva do conviver e do aprender. Revista Kairós, São Paulo, v. 15, n. 7, p. 9-22, dez. 2012.

CAMPOS, Dalvan Antonio; RODRIGUES, Jeferson; MORETTI-PIRES, Rodrigo Otávio. Pesquisa qualitativa em Saúde Coletiva como instrumento de transformação social: uma proposta metodológica fundamentada na postura hermenêutica-dialética. Saúde & Transformação Social, Florianópolis, v. 3, n. 4, p. 14-24, ago. 2012.

CAVALCANTE, Eliane Santos et al. Caracterização do idoso atendido numa UBSF em Campina Grande PB. Revista InterSciencePlace, Campos dos Goytacazes, v. 1, n. 17, p. 41-53, jan./fev. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2014.

CÓTICA, Carolina Santin. Percepção de envelhecimento e finitude no final da vida adulta tardia. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, p. 201-213, ago. 2011.

DÁTILO, Gilsenir Maria Prevelato de Almeida; TAVARES, Fabíola da Costa. Percepção da importância da participação de idosos em uma Universidade Aberta da Terceira Idade. Revista Equilíbrio Corporal e Saúde, v. 4, n. 1, p. 28-41, 2012. Disponível em: . Acesso em: 4 mar. 2014.

DUMAZEDIER, Joffre. (1915-2002). Sociologia empírica do lazer. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

DUQUE, Andrews do Nascimento; SILVA, Iolete Ribeiro. Papéis sociais e envelhecimento em uma perspectiva de curso de vida. Revista AMAzônica, Manaus, v. 11, n.1, p. 310-326, jan./abr. 2013.

FREITAS, Maria Célia; QUEIROZ, Terezinha Almeida; SOUSA, Jacy Aurélia Vieira. O significado da velhice e da experiência de envelhecer para os idosos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 44, n. 2, p. 407-412, jun. 2010.

GUERRA, Ana Carolina Lima Cavaletti; CALDAS, Célia Pereira. Dificuldades e recompensas no processo de envelhecimento: a percepção do sujeito idoso. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, p. 2931-2940, set. 2010.

IRIGARAY, Tatiana Quarti; SCHNEIDER, Rodolfo Herberto. Características de personalidade e depressão em idosas da Universidade para a Terceira Idade (UNITI/UFRGS). Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 196-175, maio/ago. 2007.

JACOB FILHO, Wilson. Fatores determinantes do envelhecimento saudável. BIS: Boletim do Instituto de Saúde, São Paulo, v. 47, p. 27-32, abr. 2009.

KEONG, Ana Marta Pequito Antunes. A auto-percepção do envelhecimento em idosas viúvas. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, Lisboa, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2014.

LUZ, Márcia Maria Carvalho; AMATUZZI, Mauro Martins. Vivências de felicidade de pessoas idosas. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 25, n. 2, p. 303-307, jun. 2008.

MINAYO, Márcia Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em

saúde. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MOIMAZ, Suzely Adas Saliba et al. Envelhecimento: análise de dimensões relacionadas à percepção dos idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, p. 361-375, 2009.

MOLITERNO, Aline Cardoso Machado et al. Viver em família e qualidade de vida de idosos da universidade aberta da terceira idade. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 179-184, abr./jun. 2012.

MORAES, Sheylane de Queiroz; BARBOSA, Rita Maria dos Santos Puga. Educação acontece somente em escolas uma perspectiva sobre educação e envelhecimento. BIUS: Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia, Manaus, v. 5, n. 1, p. 42-59, 2014. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2014.

MOREIRA, Jacqueline de Oliveira. Mudanças na percepção sobre o processo de envelhecimento: reflexões preliminares. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v. 28, n. 4, p. 451-456, out./dez. 2012.

MOURA, Romila Martins; VIANA, Helena Brandão. Envelhecimento e preconceito: uma análise da percepção de pessoas de meia idade e idosos praticantes de atividades físicas. EFDeportes Revista Digital, Buenos Aires, n. 152, jan. 2011. Disponível em:. Acesso em: 2 mar. 2014.

ORDONEZ, Tiago Nascimento; CACHIONI, Meire. Motivos para frequentar um programa de educação permanente: relato dos alunos da universidade aberta da terceira idade da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 461-474, 2011.

RIBEIRO, Liliane da Consolação Campos; ALVES, Pâmela Braga; MEIRA, Elda Patrícia. Percepção dos idosos sobre as alterações fisiológicas do envelhecimento. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, v. 8, n. 2, p. 220-227, abr./jun. 2009.

SCHIMIDT, Teresa Cristina Gioia; SILVA, Maria Julia Paes. Percepção e compreensão de profissionais e graduandos de saúde sobre o idoso e o envelhecimento humano. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 612-617, jun. 2012.

SOARES, Elydiana de Souza. A cadeira de balanço está vazia: os papéis sociais dos idosos participantes de grupos de convivência na cidade de Fortaleza. 2010. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2010. Disponível em: . Acesso em: 2 mar. 2014.

SOUZA, Lucas de Melo; LAUTERT, Liana; HILLESHEIN, Eunice Fabiani. Qualidade de vida e trabalho voluntário em idosos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. 3, p. 665-671, jun. 2011.

TEIXEIRA, Solange Maria. Lazer e tempo livre na “terceira idade”: potencialidades e limites no trabalho social com idosos. Revista Kairós, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 169-188, dez. 2007.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2