A COMPREENSÃO DA VELHICE E DO ENVELHECER NA VOZ DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA FAMÍLIA

Camila Amthauer, João Werner Falk

Resumo


A velhice é um processo complexo de alterações na trajetória de vida das pessoas. Refletir acerca da representatividade do envelhecimento é um caminho para compreender o real significado de envelhecer, permitindo aos profissionais de saúde o planejamento de estratégias fundamentadas na realidade. O objetivo deste trabalho é conhecer o que os profissionais atuantes na Estratégia de Saúde da Família (ESF) atribuem ao envelhecimento e sua percepção acerca desse processo. Trata-se de um recorte da pesquisa intitulada “O cuidado à pessoa idosa na ótica de profissionais da Estratégia de Saúde da Família”. A pesquisa é um estudo descritivo, de natureza qualitativa, desenvolvido junto aos profissionais da ESF de uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre/RS. A amostra foi aleatória e constituiu-se de 16 profissionais (quatro médicos, quatro enfermeiros, quatro técnicos de enfermagem e quatro agentes comunitários de saúde). A coleta de dados ocorreu no mês de dezembro de 2013, por meio de entrevistas semiestruturadas. A análise dos dados foi baseada na análise de conteúdo temática, proposta por Minayo. Quando os participantes foram questionados acerca de sua concepção sobre o processo de envelhecer, emergiram diferentes percepções, agrupadas nas seguintes categorias: processo natural do ser humano; autonomia e qualidade de vida; o jeito antigo e o novo; as perdas. O envelhecimento traz transformações para a sociedade. Para atender essa demanda e os paradigmas acerca do envelhecimento é preciso que os profissionais atendam o idoso em sua totalidade. Há necessidade de compreender o idoso e interagir com ele para que haja resolutividade nas ações realizadas pela equipe de saúde.


Palavras-chave


Saúde da Família; Saúde do idoso; Envelhecimento; Profissional da saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Vera Lúcia Valsecchi de. Velhice e projetos de vida: possibilidades e desafios. In: CORTE, Beltrina; MERCADANTE, Elisabeth Frohlich; ARCURI, Irene Gaeta (Org.). Velhice Envelhecimento Complex(idade). São Paulo: Vetor, 2005, p. 93-110.

ARGIMON, Irani I. de Lima; STEIN, Lilian Milnitski. Habilidades cognitivas em indivíduos muito idosos: um estudo longitudinal. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 64-72, jan./fev. 2005.

CELICH, Kátia Lilian Sedrez; SPADARI, Gessiel. Estilo de vida e saúde: condicionantes de um envelhecimento saudável. Cogitare Enfermagem, Curitiba, v. 13, n. 2, p. 252-260, abr./jun. 2008.

D’ORSI, Eleonora; XAVIER, André Junqueira; RAMOS, Luiz Roberto. Trabalho, suporte social e lazer protegem idosos da perda funcional: estudo epidoso. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 685-692, ago. 2011.

FERREIRA, Aleksandro Belo et al. Programa de atenção particularizada ao idoso em unidades básicas de saúde. Saúde e Sociedade [online], São Paulo, v. 18, n. 4, p. 776-786, 2009. Disponível em: Acesso em: 16 mai.2013.

FERRETTI, Fátima; NIEROTKA, Rosane Paula; SILVA, Márcia Regina da. Concepção de saúde segundo relato de idosos residentes em ambiente urbano. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 15, n. 37, p. 565-572, 2011.

FONSECA, António Manuel. Desenvolvimento humano e envelhecimento. 1. ed. Lisboa: Climepsi Editores, 2005.

FREITAS, Maria Célia de; QUEIROZ, Terezinha Almeida; SOUSA, Jacy Aurélia Vieira de. O significado da velhice e da experiência de envelhecer para os idosos. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online], São Paulo, v. 44, n. 2, p. 407-412, 2010. Disponível em: Acesso em: 16 mai.2013.

GARCIA, Maria Alice Amorim et al. Idosos em cena: falas do adoecer. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 9, n. 18, p. 537-552, set./dez. 2005.

HAMMERSCHMIDT, Karina Silveira de Almeida; LENARDT, Maria Helena. Tecnologia educacional inovadora para o empoderamento junto a idosos com diabetes mellitus. Texto Contexto - Enfermagem [online], Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 358-365, abr./jun. 2010. Disponível em: Acesso em: 21 mai.2014.

LIMA, Leda Hecker Pereira. Eu e o envelhecimento. Porto Alegre: Age, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MIRANDA, Leticia Miranda de; GUIMARÃES, Adriana Coutinho de Azevedo; SIMAS, Josiani Paulini Neves. Estilo de vida e hábitos de lazer de freiras e padres idosos de Florianópolis – SC. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 15, n. 1, p. 15-22, 2007.

RODRIGUES, Ana Cristina Coelho; LARA, Maristela Oliveira. Qualidade de vida do idoso: um levantamento da produção científica nos últimos dez anos. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, v. 1, n. 3, p. 395-406, jul./set. 2011.

SILVA, Carine Alves da; FOSSATTI, Anderlei Fabiano; PORTELA, Marilene Rodrigues. Percepção do homem idoso em relação às transformações decorrentes do processo de envelhecimento humano. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, Porto Alegre, v. 12, p. 111-126, 2007.

SOUZA, Rosangela Ferreira de; MATIAS, Hernani Aparecido; BRÊTAS, Ana Cristina Passarella. Reflexões sobre envelhecimento e trabalho. Ciência e Saúde Coletiva [online], Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, p. 2835-2843, set. 2010. Disponível em: Acesso em: 08 Jun.2013.

TEIXEIRA, Ilka Niceia D’Aquino Oliveira; NERI, Anita Liberalesso. A fragilidade no envelhecimento: fenômeno multidimensional, multideterminado e evolutivo. In: FREITAS, Elisabete Viana de. et al. Tratado de geriatria e gerontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006, p. 1102-1108.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2