ELEMENTOS PARA UM ENVELHECIMENTO MAIS SAUDÁVEL ATRAVÉS DA PROMOÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO E EDUCAÇÃO POPULAR

Claus Dieter Stobäus, Gildeci Alves de Lira, Katia Suely Queiroz Silva Ribeiro

Resumo


O crescimento mundial da população idosa e a busca pela promoção da saúde dos idosos emergem como desafio a ser superado em relação ao envelhecimento humano. Promover a saúde do idoso é o horizonte que deve ser alcançado visando a um envelhecimento saudável. O presente trabalho tem como objetivo apontar elementos da Educação Popular que possam contribuir com a Promoção da Saúde dos idosos. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado por meio de uma pesquisa participante, em que foram estudadas as questões relacionadas à prevenção e promoção da saúde do idoso, no contexto da extensão universitária desenvolvida na comunidade, a partir de vivências em Educação Popular. Os dados foram coletados por meio de entrevistas e diário de campo, e submetidos à interpretação hermenêutica e dialética. Para o presente estudo estão destacadas duas categorias de análise: a realidade do idoso como ponto de partida do cuidado e o diálogo como via de realização do cuidado. Verificou-se que, na perspectiva de Educação Popular, a valorização do contexto de vida do idoso e o diálogo potencializam um modo de cuidado desenvolvido com a pessoa idosa com vistas à promoção da saúde, uma vez que essa perspectiva educativa favorece os processos de autonomia e empoderamento. Sugere-se, assim, que os profissionais de saúde busquem orientar suas condutas de cuidado a partir dos referenciais teórico-metodológicos da Educação para a Saúde, tendo em vista contribuir de forma mais efetiva para a promoção e manutenção da saúde do idoso.


Palavras-chave


Promoção da Saúde do Idoso; Educação Popular; Envelhecimento; Gerontologia Biomédica

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Adriana Bezerra Brasil; BOSI, Maria Lúcia Magalhães. Visita domiciliar no âmbito da Estratégia Saúde da Família: percepções de usuários no Município de Fortaleza, Ceará, Brasil, Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 5, v. 25, p. 1103- 1112, maio 2009.

AMATUZZI, Mauro Martins. O resgate da fala autêntica: Filosofia da Psicoterapia e da Educação. Campinas-SP: Papirus, 1989.

AMATUZZI, Mauro Martins. Pesquisa fenomenológica em psicologia. In: BRUNS, Maria Alves de Toleto.; HOLANDA, Adriana Furtado. (org.). Psicologia e pesquisa fenomenológica: reflexões e perspectivas. São Paulo: Ômega Editora, 2001.

ARAÚJO, Maria Aparecida Silva; BRITO, Charles; BARBOSA, Maria Alves. Atenção básica à saúde do idoso no Brasil: limitações e desafios. Geriatria & Gerontologia. Fortaleza. 2, v. 3, p. 122- 125, 2008.

ASSIS, Mônica. Envelhecimento ativo e promoção da saúde: Reflexão para as ações educativas com idosos. Revista Atenção Primária à Saúde -APS, Juiz de Fora, n. 1, v. 8, p. 15- 24, jan./jun.2005.

ASSIS, Mônica; SILVEIRA, Teresinha Mello. Ação educativa em saúde com idosos. In: ASSIS, Mônica. (org.) Promoção da saúde e envelhecimento: orientações para o desenvolvimento de ações educativas com idosos. Rio de Janeiro: CRDE UnATI UERJ, 2002. p. 16- 19.

BARRETO, Betânia Villas Boas. A espiritualidade na formação universitária a partir da educação popular em saúde. 2013. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013.

BATISTA, Patrícia Serpa Souza. Ética no cuidado em saúde e na formação universitária na perspectiva da Educação Popular. 2012. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

BERNARDO, Maria Helena Jesus; MENEZES, Maria Fátima Garcia; ASSIS, Mônica; PACHECO, Liliane Carvalho; MECENAS, Anete Souza. A Saúde no diálogo com a Vida Cotidiana: A experiência do trabalho educativo com idosos no grupo roda da saúde. Revista Atenção Primária a Saúde -APS, Juiz de Fora, n. 4, v. 12, p. 504- 509, out./dez. 2009.

BUSS, Paulo Marchiori. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, n. 1, v. 5, p. 163- 177, 2000.

BRASIL. Estatuto do Idoso. Lei n° 10.741, de 1° de outubro de 2003. Brasília, DF: Senado Federal, 2003.

CALDAS, Célia Pereira. Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 3, v. 19, p. 733-781, 2003.

CARVALHO, Sérgio Resende. As contradições da promoção à saúde em relação à produção de sujeitos e a mudança social. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, n. 3, v. 9, p. 669- 678, 2004.

CARVALHO, Sérgio Resende. Saúde Coletiva e Promoção da Saúde: sujeito e mudança. São Paulo: HUCITEC, 2007.

CASTIEL, Luis David. Promoção de saúde e a sensibilidade epistemológica da categoria ‘comunidade’. Revista de Saúde Pública, n. 5, v. 38, p. 615- 622, 2004.

CATELLAN, João Carlos. Contrajunção e velhice: tradição e obsolescência. Linguagem e (dis)curso, Tubarão, n. 1, v. 11 2011.

CZERESNIA, Dina. The concept of health and the difference between promotion and prevention. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro n. 4, v. 15, p. 701-710, 1999.

DEBERT, Guita Grin. O velho na propaganda. Cadernos PAGU, Campinas, n. 21, p. 133- 155, 2003.

DERNTL, Alice Moreira; WATANABE, Helena Akemi Wada. Promoção da Saúde. In: LITVOC, Júlio; BRITO, Francisco Carlos. Envelhecimento: prevenção e promoção da saúde. São Paulo: Atheneu, 2004. p. 37- 46.

FIRMINO, Renata; PATRÍCIO, Jousianny; RODRIGUES, Laurycelia; CRUZ, Pedro; VASCONCELOS, Ana Claúdia. Educação Popular e promoção da saúde do idoso: reflexões a partir de uma experiência de extensão universitária com grupos de idosos em João Pessoa-PB. Revista Atenção Primária à Saúde -APS, Juiz de Fora, n. 4, v. 13, p. 23- 53, out./dez. 2010.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação. 14 reimp. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

_____. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

_____. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Educação para a paz segundo Paulo Freire. Revista Educação- PUCRS, Porto Alegre, ano XXIX, n. 2, p. 387- 393, maio/ago. 2006.

GIACOMOZZI Clélia Mozara; LACERDA, Maria Ribeiro. A prática da assistência domiciliar dos profissionais da estratégia de saúde da família. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis n. 4, p. 45- 53, 2006.

GOMES, Luciano Bezerra; MERHY, Emerson Elias. Compreendendo a Educação Popular em Saúde. Revista Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 27, p. 7 -18, jan. 2011.

JUNGES, José Roque. Uma leitura crítica da situação do idoso no atual contexto sociocultural. Estudos interdiscipliares e envelhecimento, Porto Alegre, n. 6, p. 123- 144, 2004.

LOBATO, Alzira Tereza Garcia. Considerações sobre o trabalho do Serviço Social com Idosos. In: LEMOS, Maria Teresa Toríbio Brittes; ZAGAGLIA, Rosângela Alcântara (org.). A arte de envelhecer: saúde, trabalho, afetividade e estatuto do idoso. Aparecida: Editora Ideias e Letras, 2004.

LUNA, Verônica Figueiredo Rêgo. Juventude, velhice e preconceito na perspectiva das representações sociais. In: LUNA, Verônica Figueiredo Rêgo; NASCIMENTO, Zaeth Aguiar. (orgs.). Desafios da Psicologia Contemporânea. Editora UFPB, 2010.

MINAYO, Maria Cecília Souza. O desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10. ed. São Paulo: HUCITEC, 2007.

MOSQUERA, Juan José Mouriño; STOBÄUS, Claus Dieter. Educação para a Saúde. 2. ed. Porto Alegre: D. C. Luzzatto, 1984.

PARAIBA. Secretaria de Estado do Planejamento e Gestão‐ SEPLAG. Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (IDEME). O Envelhecimento da População Paraibana: um desafio para os novos tempos. João Pessoa- PB, 2012.

PEDROSA, José Ivo Santos. Avaliação das práticas educativas em saúde. In: VASCONCELOS, E.M. (org.). A saúde nas palavras e nos gestos: reflexões da rede de educação popular e saúde. São Paulo: HUCITEC, 2001.

RIBEIR0, Kátia Suely Queiroz Silva. As redes de apoio social e a Educação Popular: apertando os nós das redes. 27ª Reunião Anual da ANPEd, nov. 2004, Caxambu, MG. Anais... Disponível em http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt06/t068.pdf Acesso: 22/07/2013.

ROSEN, George. Da polícia médica a medicina social. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

SANTOS, Maria Verônica. O processo participativo de idosos através de experiências e práticas do movimento de Educadores Populares. Revista Atenção Primária à Saúde -APS, Juiz de Fora, n. 14, v. 4, p. 378- 388, out./dez. 2011. Disponível em www.aps.ufjf.br/. Acesso em 20 de maio de 2013.

SILVA, Marísia Oliveira. Psicologia Humanista e Educação Popular na atenção primária à saúde. 2013. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

VASCONCELOS, Eymard Mourão. Educação popular: de uma prática alternativa a uma estratégia de gestão participativa das Políticas de Saúde. Physis, Rio de Janeiro, n. 14, p. 67-83, 2004.

VASCONCELOS, Eymard Mourão (org). A saúde nas palavras e nos gestos: reflexões da rede de educação popular e saúde. Editora HUCITEC, 2001.

WESTPHAL, Marcia Faria. Promoção da Saúde e a Qualidade de Vida. In: FERNANDEZ, Juan Carlos Aneiros; MENDES, Rosilda. (org). Promoção da Saúde e Gestão Local. São Paulo: HUCITEC, CEPEDOC, 2007. p. 13- 40.

WHO (World Health Organization). Carta de Ottawa. In: Ministério da Saúde/FIOCRUZ. Promoção da Saúde: Cartas de Ottawa, Adelaide, Sundsvall e Santa Fé de Bogotá. Ministério da Saúde/IEC, Brasília 1986.

ZAGAGLIA, Rosângela Alcântara; PEREIRA, Tânia da Silva. O estatuto do idoso e os desafios da modernidade. In: LEMOS, Maria Tereza Toríbio Brittes; ZAGAGLIA, Rosângela Alcântara (orgs.). A arte de envelhecer: saúde, trabalho, afetividade, Estatuto do idoso. Aparecida, SP: Ideias & Letras; Rio de Janeiro: UERJ, 2004.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2