Tipos de Medos Encontrados em Adultos e Idosos da Cidade de Curitiba

Gisele Delinski, Francieli M. Franzoni, Ana M. Moser, Marilza B. Mestre

Resumo


Resumo: Medo pode ser definido como um estado do sistema neuro-endócrino que possui dados subjetivos, estes dados são conhecidos somente por aqueles que experimentam o medo. O objetivo da pesquisa foi levantar quais os medos mais freqüentes nestas populações: adulta e idosa, bem como verificar se, com o desenvolvimento humano, há alteração nos tipos de medo. Foram entrevistadas 78 mulheres na faixa etária de 30 à 50 anos e 38 idosas, com mais de 60 anos. O método foi observacional participante e os dados foram coletados individualmente, através de entrevista semi-estruturada, nos seguintes locais: três shopping centeres, Universidade da Terceira Idade Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho e residências particulares. O procedimento constou de selecionar mulheres através de técnica de amostragem não probabilística baseando-se na aparência física (se dentro das faixas etárias previstas pela pesquisa) e confirmada depois, durante a entrevista. Os medos mais citados pelas entrevistadas, em ambas as faixas etárias, foram: morte (16%), perdas (13%), Violência urbana (12%), solidão (10%), doença (10% ) e situação financeira (5%). Outro resultado obtido, quando comparou-se as freqüências das respostas para cada faixa etária, foi que, embora os medos citados sejam os mesmos, há uma hierarquização diferente. Conclui-se assim que, os medos, para esta amostra, são conseqüência de suas experiências de vida, sofrendo influências sócio-culturais, e que os medos apresentados por ambas as faixas etárias parecem refletir uma realidade brasileira.

Palavras-chave: Medo. Idoso.


Abstract: Fear can be defined as a state of the neuro-endocrine system that it possesses subjective data, these data are only known by those that try the fear. The objective of the research went lift which the most frequent fears in these populations: adult and senior, as well as to verify, with the human development, there is alteration in the fear types. 78 women were interviewed in the age group of 30 to at 50 years and 38 senior, with more than 60 years. The method was participant observacional and the data were collected individually, through semi-structured interview, in the following ones local: three shopping centers, "Universidade da Terceira Idade" PUCPR, "Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho" and private residences. The procedure consisted of selecting women through technique of sampling non probabilístic basing on the physical appearance (if inside of the age groups foreseen by the research) and confirmed later, during the interview. The fears more mentioned by the interviewees, in both age groups, they were: death (15%), losses (12%), urban Violence (10,6%), solitude (9,5%), disease (9%) and financial situation (5%). Other obtained result, when it was compared the frequencies of the answers for each age group, it was that, although the mentioned fears are the same ones, there is a different hierarchization. It is ended as soon as, the fears, for this sample, are consequence of its life experiences, suffering social-cultural influences, and that the fears presented by both age groups seem to reflect a Brazilian reality.

Keywords: Fear. Agement.

Palavras-chave


Medo. Idoso. Fear. Agement.

Texto completo:

PDF


Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2