A DESIGUALDADE SOCIAL E O PERFIL DE SAÚDE DOS IDOSOS ATENDIDOS POR UM SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA DOMICILAR DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

Tatiana Yonekura, Cintia Aparecida Silva, Gislaine Aparecida Godoi

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar o perfil sociodemográfico e de saúde de idosos atendidos em um Serviço de Assistência Domiciliar (SAD). Trata-se de um estudo descritivo de abordagem quantitativa. A população de estudo (N=157) foi constituída por idosos usuários residentes no município de São Paulo, cadastrados em um SAD. Selecionou-se um conjunto de variáveis através de um formulário padronizado, relacionado a características demográficas, socioeconômicas, domiciliares e condições de saúde. Os usuários foram classificados em quatro grupos sociais (1, 2, 3 e 4) de acordo com o Índice de Desigualdade Social. Os resultados demostraram que a maioria dos usuários era do sexo feminino, com mais de 71 anos, com menos de sete anos de estudo, da cor branca e morava com três ou quatro membros da família. Em relação ao grupo social, notou-se que o grupo 4 (pior condição social) possuía a maioria dos usuários atendidos. O problema de saúde mais freqüente no grupo 1 (melhor condição social) foi a hipertensão arterial sistêmica, enquanto que o acidente vascular cerebral foi mais freqüente no grupo 4. Os resultados permitem conhecer as importantes diferenças sociais e de saúde dos usuários atendidos em um Serviço de Assistência Domiciliar, o que contribui para melhorar a qualidade da assistência prestada pelos trabalhadores e atender as necessidades de saúde identificadas.  As desigualdades sociais presente no território devem ser consideradas para o planejamento de serviços e ações dos trabalhadores para a tenção integral à saúde dos idosos.



Palavras-chave


Idoso; Serviços de Saúde para Idosos; Perfil de saúde; Assistência domiciliar; Desigualdade social.

Texto completo:

PDF

Referências


BARATA, Rita de Cássia Barradas. Como e por que as desigualdades sociais fazem mal à saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Atenção à Saúde da Pessoa Idosa e Envelhecimento. Série Pactos pela Saúde 2006, v. 12. Brasília, DF, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM Nº 963, de 27 de maio de 2013. Redefine a Atenção Domiciliar no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2013.

BREILH, Jaime. Nuevos conceptos y técnicas de investigación: guia pedagógica para um taller de metodologia. Quito: CEAS; 1994.

CAMPOS, Frederico Grizzi de et al. Distribuição espacial dos idosos de um município de médio porte do interior paulista segundo algumas características sócio-demográficas e de morbidade. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.25, n.1, p.77-86, jan. 2009.

CARVALHO FILHO, Eurico Thomaz. Prefácio. In: DUARTE, Yeda Aparecida de Oliveira; DIOGO, Maria José D'Elboux. Atendimento Domiciliar: Um enfoque Gerontológico. São Paulo: Atheneu, 2005.

DUCA, Giovâni Firpo Del; THUME, Elaine; HALLAL, Pedro Curi. Prevalência e fatores associados ao cuidado domiciliar a idosos. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.45, n. 1, p. 113-120, fev. 2011.

FOSS, Maria Paula; VALE, Francisco de Assis Carvalho do; SPECIALI, José Geraldo. Influência da escolaridade na avaliação neuropsicológica de idosos: aplicação e análise dos resultados da Escala de Mattis para Avaliação de Demência (Mattis Dementia Rating Scale - MDRS). Arq. Neuro-Psiquiatr., São Paulo, v.63, n.1, p.119-126, mar. 2005 .

GONÇALVES, Lucia Hisako Takase et al. Perfil da família cuidadora de idoso doente/fragilizado do contexto sociocultural de Florianópolis, SC. Texto contexto - enferm., Florianópolis , v.15, n.4, p. 570-577, dez. 2006 .

IBGE. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

KERBER, Nalú Pereira da Costa; KIRCHHOF, Ana Lúcia Cardoso; CEZAR-VAZ, Marta Regina. Vínculo e satisfação de usuários idosos com a atenção domiciliária. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v.17, n.2, p. 304-312, jun. 2008.

LIMA-COSTA, Maria Fernanda et al. Desigualdade social e saúde entre idosos brasileiros: um estudo baseado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.19, n.3, jun. 2003 .

LOUVISON, Marília Cristina Prado et al. Desigualdades no uso e acesso aos serviços de saúde entre idosos do município de São Paulo. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.42, n. 4, p. 733-40, aug. 2008.

MARIN, Maria José Sanches et al. Características sócio-demográficas do atendimento ao idoso após alta hospitalar na Estratégia da Saúde de Família. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v.44, n.4, p. 962-968, dez. 2010 .

MOREIRA, Morvan de Mello. O Envelhecimento da População Brasileira: intensidade, feminização e dependência. Belo Horizonte: CEDEPLAR-UFMG, 1997.

POCHMANN, Marcio. Atlas da exclusão no Brasil: a dinâmica e manifestação territorial. 2ed. São Paulo: Cortez, 2004.

POCHMANN, Marcio. Apresentação. In: Camarano AA (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2010.

SALGADO, Carmen Delia Sánchez. Mulher Idosa: a feminização da velhice. Estud. interdiscip. envelhec., Porto Alegre, v.4, p.7-19. 2002.

SIQUEIRA, Fernando V et al. Prevalência de quedas em idosos e fatores associados. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.41, n.5, p. 749-756, out. 2007.

SOARES FILHO, Adauto Martins, SOUZA, Maria de Fátima Marinho de, GAZAL-CARVALHO, Cynthia et al. Análise da mortalidade por homicídios no Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v.16, n.1, p.7-18, mar. 2007.

URSINE, Príscila Guedes Santana; CORDEIRO, Hésio de Albuquerque; MORAES, Claudia Leite. Prevalência de idosos restritos ao domicílio em região metropolitana de Belo Horizonte (Minas Gerais, Brasil). Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.16, n.6, p. 2953-2962, jun. 2011.

VICTOR, Janaina Fonseca et al. Perfil sociodemográfico e clínico de idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde da Família. Acta paul. enferm., São Paulo, v.22, n.1, p. 49-54, fev. 2009 .

WHO. World Health Organization. Interesting facts about ageing. 2012. Disponível em: http://www.who.int/ageing/about/facts/en/index.html.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2