VIVER A VELHICE EM AMBIENTE INSTITUCIONLIZADO

Fátima Ferretti, Bruna Fernanda Soccol, Débora Cristina Albrecht, Lucimare Ferraz

Resumo


Conhecer o processo de viver a velhice num ambiente  institucionalizado. Pesquisa qualitativa com oito idosos institucionalizados.  A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista com questões norteadoras, observação participante e diário de campo. A análise dos dados foi realizada mediante a técnica de análise de conteúdo.  A média de idade do grupo era de 77 anos e oito anos de internação, com nível primário de escolaridade. Dentre os motivos da institucionalização foram citados os conflitos familiares e o abandono. Os idosos destacaram que viver a velhice nesse ambiente é conviver com a perda e a quebra dos laços familiares, sem liberdade, autonomia e independência e, por outro lado é ter acesso a serviços de saúde e cuidados diários, que não possuíam fora da ILP. Viver a velhice numa Instituição de Longa Permanência limita as possibilidades de o idoso manter-se independente, fator fundamental para sua saúde, o que nos remete a considerar que o estado e a sociedade precisam assumir um papel mais pró-ativo no cuidado desses idosos criando mecanismos para que a assistência integral a saúde desse segmento seja garantida. 


Palavras-chave


Vida, Idoso; Institucionalização

Texto completo:

PDF


Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2