CARACTERIZAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA DE IDOSOS ATIVOS INSTITUCIONALIZADOS

Fernanda Freitas Vellozo, Alexandre Ramos da Costa, Jayne Guterres de Mello, Valdete Alves Valentins dos Santos Filha, Elenir Fedosse

Resumo


Objetivo: Investigar as condições estruturais e funcionais relativas à comunicação (audição/equilíbrio/voz/linguagem e demais processos cognitivos) e à alimentação (motricidade orofacial) de idosos ativos institucionalizados. Métodos: trata-se de um estudo qualitativo transversal junto a onze idosos entre sessenta e 74 anos, de ambos os sexos, residentes em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos. Todos foram submetidos à triagem auditiva vocal e à avaliação Resultados: na triagem auditiva, foi constatado o predomínio de perda auditiva assimétrica de grau leve/moderado. Na avaliação do equilíbrio, foram identificadas alterações na maioria dos avaliados, sendo a instabilidade e a preferência visual os tipos de alteração mais evidentes. Na triagem vocal, constatou-se diminuição dos tempos máximos de fonação em todos os idosos, loudness alterada em aproximadamente um terço dos idosos, foco vertical discretamente laringofaríngeo e qualidade vocal rouco-soprosa na maioria dos sujeitos. Na avaliação da respiração, constatou-se maior ocorrência de diminuição da capacidade vital, modo respiratório nasal e tipo respiratório misto. Quanto aos demais aspectos da motricidade orofacial, identificou-se um maior número de idosos com alterações estruturais e/ou funcionais: a tensão diminuída dos órgãos fonoarticulatórios; além disso, a mastigação e a deglutição foram identificadas como típicas. No que se refere aos aspectos linguístico-cognitivos, não foram evidenciadas alterações de fala; parte dos avaliados apresentou dificuldades nas coordenadas espaço-temporais e mais da metade em processos inferenciais. A maioria dos idosos conseguiu realizar operações de subtração com um dígito. Considerações finais: as condições fonoaudiológicas dos idosos triados justificam ação integral da Fonoaudiologia, visto que, mesmo no envelhecimento ativo, há aspectos orgânicos e linguístico-cognitivos que merece


Palavras-chave


Fonoaudiologia; Envelhecimento; Comunicação; Ingestão de Alimentos; Instituição de Longa Permanência para Idosos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Natália Beghine et al. Equlibrio postural e risco para queda em idosos da cidade de Garça SP. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, p. 763-768, 2011.

BARALDI, Giovana dos Santos et al. Evolução da perda auditiva no decorrer do envelhecimento. Rev Bras Otorrinolaringol. Rio de Janeiro, v. 73, n. 1, p. 64-70, 2007.

BEBER, Bárbara Costa et al. Lesões de borda de pregas vocais e tempos máximos de fonação. Rev CEFAC. São Paulo, v. 11, n. 1, p. 134-141, 2009.

BEHLAU, Mara. O livro do especialista. Rio de Janeiro: Revinter, 2008.

BILTON, Tereza Loffredo. Estudo da deglutição do adulto pelo videodeglutoesofagograma. Tese (Doutorado). São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo; 2000.

BORN, Tomiko. Considerações sobre os asilos no Brasil. [S.l.]: Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, 2004. Disponível em: . Acesso em 06/09/2012.

BRASIL. ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 283, de 26 de setembro de 2005. Aprova o Regulamento Técnico que define normas de funcionamento para as Instituições de Longa Permanência para Idosos. ANVISA Publicações Eletrônicas. 2005. Website: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/58109e00474597429fb1df3fbc4c6735/RDC+N%C2%BA+283-2005.pdf?MOD=AJPERES Acesso em: 05/09/2012.

CASPER, Janina; COLTON, Raymond. Current understanding and treatment of phonatory disorders in geriatric populations. Current opinion in Otorrinolaryngology-Head and Neck Surgery; 2008.

CASSOL, Mauricéia. Avaliação da percepção do envelhecimento vocal em idosos. Estudos Interdisciplinares em Envelhecimento. Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 41-52, 2006.

CASTAGNO, Lucio. A new method for sensory organization tests: the foam-laser dynamic posturography. Rev. Bras de Otorrinolaringologia. Rio de Janeiro, v. 60, n. 4, p. 287-296, 1994.

CIELO, Carla Aparecida et al. Tempos máximos de fonação e características vocais acústicas de mulheres com nódulos vocais. Rev CEFAC. São Paulo, v. 13, n. 3, p. 437-443, 2011.

CORRÊA, Antônio Carlos de Oliveira. Envelhecimento, depressão e doença de Alzheimer. Belo Horizonte: Health, 1996.

CUNHA, Cristina Campos et al. Condições miofuncionais orais em usuários de próteses totais. Pró-Fono Rev. de Atual. Cient. Barueri, v. 11, n.1, p. 21-26, 1999.

DAVIS, Hallowell; SILVEMANN, Richard. Hearing and Deafness. New York: Holt, Rinehart e Winston; 1970.

FRANCHI, Carlos. Linguagem - Atividade Constitutiva, in Almanaque, 1977.

FREITAS, Mariana Ayres Vilhena et al. Qualidade de vida de idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 395-402, 2010.

GAMA, Ana Cristina Cortês et al. Correlação entre dados perceptivo-auditivos e qualidade de vida em voz de idosas. Pró-Fono Rev. de Atual. Cient. Barueri, v. 21, n. 2, p. 125-130, 2009.

GAMBURGO, Lílian Juana Lavenbach; MONTEIRO, Maria Inês Bacellar. Envelhecimento e linguagem: algumas reflexões sobre aspectos cognitivos na velhice. Revista Kairós. São Paulo, v. 10, n. 1, p.35-44, jun 2007.

GENARO, Kátia Flores et al. Avaliação miofuncional orofacial - protocolo MBGR. Rev. CEFAC. São Paulo, v. 11, n. 2, p. 237-255, 2009.

GERALDI, João Wanderlei. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

GRACCO, Carol; KAHANE, Joel. Age-related changes in the vestibular folds of the human larynx: a histomorphometric study. Journal of Voice. New York, v. 3, n. 3, p. 204-212, jun 1989.

HERÉDIA, Vânia Beatriz Merlotti et al. A realidade do idoso institucionalizado. Rev. Textos sobre Envelhecimento. Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 9-31, 2004.

LIMA, Renata Milena Freite et al. Adaptações na mastigação, deglutição e fonoarticulação em idosos de instituição de longa permanência. Rev CEFAC. São Paulo, v. 11, n. 3, p. 405-422, 2009.

LUIZ, Lívia et al. Associação entre déficit visual e aspectos clínico-funcionais em idosos da comunidade. Rev Bras Fisioter. São Carlos, v. 13, n. 5, p. 444-450, Out, 2009.

MARCHESAN, Irene Queiroz. Distúrbios da motricidade oral. In: RUSSO, Ieda Pacheco. Intervenção fonoaudiológica na terceira idade. Rio de Janeiro: Revinter, 2004. p. 83-100

MEZZENA, Laís Heloísa et al. Estudo comparativo da classificação do grau de perda auditiva em idosos institucionalizados. Rev. CEFAC. São Paulo, v. 11, n. 3, p. 473-477, 2009.

NERI, Anita Liberalesso. Desenvolvimento e envelhecimento: perspectivas biológicas, psicológicas e sociológicas. Campinas: Papirus, 2001.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. WHO/PDH/97.3 Geneva: WHO, 1997.

PEDALINI, Maria Elisabete Bovino. Avaliação de idosos com e sem sintomas vestibulares pela posturografia dinâmica computadorizada. São Paulo, 2005. Tese (Doutorado). Faculdade de Medicina da Universidade de são Paulo (FMUSP).

PEDROSO, Maria Ignez de Lima. O uso de técnicas vocais como recursos retóricos na construção do discurso. Rev do GEL. São Paulo, v. 5, n. 2, p. 139-161, 2008.

PIZZOL, Karina Eiras Dela Coleta. Influência da mastigação unilateralno desenvolvimento da assimetria facial. Rev Uniara. Araraquara, v. 15, p. 215-219, 2004.

ROSA, Juliana de Caldas et al. Função fonatória em pacientes com doença de parkinson: uso de instrumento de sopro. Rev CEFAC. São Paulo, v. 11, n. 2, p. 305-313, 2009.

SCHERER, Sabrina et al. Tontura em idosos: diagnóstico otoneurológico e interferência na qualidade de vida. Rev Soc Bras Fonoaudiol. Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 142-150, 2012.

SILVA, Lílian Guisard et al. A mastigação no processo de envelhecimento. Rev CEFAC. São Paulo, v. 3, n.1, p. 27-35, 2001.

SIMOCELLI, Lucinda et al. Perfil diagnóstico do idoso portador de desequilíbrio corporal: resultados preliminares. Rev Bras Otorrinolaringol. Rio de Janeiro, v. 69, p. 771-777, 2003.

SMOLKA, Ana Luiza. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. São Paulo: UNICAMP; 2000.

TULVING, Endel; CRAIK, Fergus. The Oxford Handbook of Memory. Oxford: University Press; 2000.

WATSFORD, Mark et al. The effects of ageing on respiratory muscle function and performance in older adults. J. Sci. Méd. Sport. v. 10, n. 1, p. 36-44, 2007.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2