PRÁTICA PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA: RUMO A NOVAS EXPERIÊNCIAS COM O PASSAR DOS ANOS

Alan Camargo Silva, Sílvia Maria Agatti Lüdorf

Resumo


Envelhecer como professor significa considerar que a prática profissional se torne relativamente diferente ao longo dos anos. Desse modo, o objetivo do presente estudo foi analisar e discutir a possível influência do envelhecimento do professor de Educação Física na sua prática profissional. O tratamento dos dados provindos de 22 entrevistas semiestruturadas realizadas com professores de Educação Física foi feito com base na análise de conteúdo. Os resultados apontaram que os professores sentiram relativa maturidade ao atuar na área, no sentido de maior conhecimento, experiência, segurança e postura profissional, aspectos esses que poderiam diferenciá-los significativamente dos mais novos na carreira.

Palavras-chave


Envelhecimento. Docentes. Educação Física.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Regina Duarte Benevides de; CASTRO, Adriana Miranda de. Terceira idade: o discurso dos experts e a produção do “novo velho”. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, Porto Alegre, v. 4, p. 113-124, 2002.

BEAUVOIR, Simone de. A velhice: a realidade incômoda. Trad. Heloysa de Lima Dantas. 2.ed. São Paulo, Rio de Janeiro: Difel, 1976.

BIZET, Ivan et al. Career changes among physical educators searching for new goals or escaping a heavy task load? Research Quarterly for Exercise and Sport, Washington, v. 81, n. 2, p. 224-232, Jun. 2010.

CARVALHO, Yara Maria. Entre o biológico e o social. Tensões no debate teórico acerca da saúde na Educação Física. Motrivivência, Florianópolis, v. 17, n. 24, p. 97-105, jun. 2005.

COLOMBO, Bruno Dandolini; CARDOSO, Ana Lúcia. Formação inicial em Educação Física e atuação na escola: a hora da verdade. Motrivivência, Florianópolis, v. 20, n. 30, p. 111-127, jun./2008.

COSTA, Luciane Cristina Arantes da; NASCIMENTO, Juarez Vieira do. O “bom” professor de Educação Física: possibilidades para a competência profissional. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 20, n. 1, p. 17-24, 2009.

COUTINHO, Renato Xavier; ACOSTA, Marco Aurélio de Figueiredo; DEPONTI, Renata Nadalon; STREIT, Inês Amanda; GOULART, Mirceli Barbosa. Análise da pesquisa da Educação Física na temática envelhecimento humano. Lecturas en Educación Física y Deportes, Buenos Aires, año 14, n. 139, Diciembre, 2009. Disponível em: (http://www.efdeportes.com/efd139/educacao-fisica-na-tematica-envelhecimento-humano.htm). Acesso em: 23 de dez. 2009.

DEBERT, Guita Grin. A antropologia e o estudo dos grupos e das categorias de idade. In: BARROS, Mirian Moraes Lins de (Org.) Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2007. p. 49-67.

______. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: EDUSP, 2004.

FOLLE, Alexandra et al. Construção da carreira docente em Educação Física: escolhas, trajetórias e perspectivas. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 25-49, jan./mar. 2009.

FOLLE, Alexandra; NASCIMENTO, Juarez Vieira do. Momentos marcantes da trajetória docente em Educação Física. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 1, p. 92-103, jan./mar. 2009.

FREIRE, Elisabete dos Santos; VERENGUER, Rita de Cássia Garcia; REIS, Marise Cisneiros da Costa. Educação Física: pensando a profissão e a preparação profissional. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 1, n.1, p. 39-46, jan./dez. 2002.

GASKELL, George. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. (Orgs.) Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 8. ed., Trad. Pedrinho A. Guareschi, Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. p. 64-89.

GÜNTHER, Maria Cecília Camargo; MOLINA NETO, Vicente. Formação permanente de professores de Educação Física na rede municipal de ensino de Porto Alegre: uma abordagem etnográfica. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 14, n 1, p. 72-84, jan./jun. 2000.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, Antonio. (Org.) Vida de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2007. p. 31-61.

LEMOYNE, Jean et al. Occupational health problems and injuries among Quebec’s physical educators. Applied Ergonomics, Maryland Heights, v. 38, n. 5, p. 625-634, Sep. 2007.

MARCON, Daniel; GRAÇA, Amândio Braga dos Santos; NASCIMENTO, Juarez Vieira. Estruturantes da base de conhecimentos para o ensino de estudantes-professores de Educação Física. Motriz, Rio Claro, v. 16, n. 3, p. 776-787, jul./set. 2010.

MASCARO, Sônia de Amorim. O que é velhice. São Paulo: Brasiliense, 2004.

NASCIMENTO, Juarez Vieira; GRAÇA, Amâncio Braga dos Santos. A evolução da percepção de competência profissional de professores de Educação Física ao longo da carreira docente. In: CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E CIÊNCIAS DO DESPORTO DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA, 6, 1998. Actas..., La Coruña. Galícia: INEF, 1998. p. 320-335.

NÓVOA, Antonio. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, Antonio. (Org.) Vida de professores. 2 ed., Porto: Porto Editora, 2007. p. 11-30.

OLIVEIRA, Amauri A. Bássoli de. Mercado de trabalho em Educação Física e a formação profissional: breves reflexões. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 8, n. 4, p. 45-50, set. 2000.

SANTOS, Núbia Zorzanelli dos; BRACHT, Valter; ALMEIDA, Felipe Quintão de. Vida de professores de Educação Física: o pessoal e o profissional no exercício da docência. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 141-165, abr./jun. 2009.

SILVA, Alan Camargo; LÜDORF, Sílvia Maria Agatti. Envelhecendo como professor de Educação Física: um olhar sobre o corpo e a profissão. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 21, n. 4, p. 645-654, 4. trim. 2010.

SILVA, Junior Vagner Pereira da; NUNEZ, Paulo Ricardo Martins. Qualidade de vida, perfil demográfico e profissional de professores de Educação Física. Pensar a Prática, Goiânia, v. 12, n. 2, p. 1-11, mai./ago. 2009.

SILVERMAN, David. Interpreting qualitative data: methods for analyzing, talk, text and interaction. 3. ed., London: Sage, 2006.

SIQUEIRA, Renata Lopes de; BOTELHO, Maria Izabel Vieira; COELHO, France Maria Gontijo. A velhice: algumas considerações teóricas e conceituais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 7, n. 4, p. 899-906, 2002.

STANO, Rita de Cássia Magalhães Trindade. Identidade do professor no envelhecimento. São Paulo: Cortez, 2001.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação e Sociedade, Campinas, v. 21, n. 73, p. 209-244, dez. 2000.

TELLES, Sílvio; BERNARDO, Giselle; DIAS, Amanda; SANTIAGO, Vanessa; FEITOSA, Lisandro Ramos. A produção teórica sobre idosos na Revista Brasileira de Ciências do Esporte: a RBCE digitalizada. In: FONTOURA, Paula (Org.) Pesquisa em Educação Física. v. 7, n. 3. Jundiaí: Fontoura, 2008. p. 27-34.

TURATO, Egberto Ribeiro. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. 5. ed., Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

UCHÔA, Elizabeth. Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 849-853, mai./jun. 2003.

VERENGUER, Rita de Cássia Garcia. Intervenção profissional em Educação Física: expertise, credencialismo e autonomia. Motriz, Rio Claro, v.10, n. 2, p.123-134, mai./ago. 2004.

______. Mercado de trabalho em Educação Física: reestruturação produtiva, relações de trabalho e intervenção profissional. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte,

São Paulo, v. 4, n. 4, p. 39-54, 2005.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2