PRÁTICA DO TÊNIS EM IDOSOS: ESTUDO DESCRITIVO NA CIDADE DE PELOTAS/RS/BRASIL

Marcelo Cozzensa Silva, Eduardo Frio Marins, Christine Vieira Spieker

Resumo


O objetivo do estudo foi descrever a prática atual de tênis de campo e outras atividades físicas em idosos. Foi realizado um estudo descritivo com 19 indivíduos de ambos os sexos (18 homens e 1 mulher) que praticam ou praticaram tênis de campo em algum período da terceira idade na cidade de Pelotas/RS. A prevalência de prática atual de tênis foi de 84,2% (IC95% 64,4 a 96,6). Os principais motivos relatados para iniciar a prática do tênis foram: por lazer (42,1%), por convite de amigos (26,3%), por iniciativa própria (15,8%) e por achar o desporto atrativo (10,5%). Do total de entrevistados, 84,2% realizam outro tipo de atividade física, sendo corrida/caminhada (56,3%), musculação (50,0%) e ginástica (25,0%) as mais citadas. A prática atual do tênis de campo e outras atividades físicas é alta e torna-se importante para um envelhecimento saudável.


Palavras-chave


Tênis; Idoso; Envelhecimento; Atividade Motora

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREOTTI, Márcia Cristina; OKUMA, Silene Sumire. Perfil Sócio-Demográfico e de Adesão Inicial de Idosos Ingressantes em um Programa de Educação Física. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 142-153, Jul./Dez. 2003.

BENTO, Jorge Olimpio. O século do idoso e o papel do desporto. Humanidades, Brasília, n. 46, p. 14-23, Out. 1999.

CARDOSO, Adilson Sant'Ana; BORGES, Lucélia Justino; MAZO, Giovana Zarpellon et al. Fatores influentes na desistência de idosos em um programa de exercício físico. Movimento, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 225-239, Jan./Abr. 2008.

CARNEIRO, Gláucia; FARIA, Alessandra N.; RIBEIRO FILHO, Fernando F. et al. Influência da distribuição da gordura corporal sobre a prevalência de hipertensão arterial e outros fatores de risco cardiovascular em indivíduos obeso. Revista da Associação Medica Brasileira, São Paulo, v. 49, n. 3, p. 306-311, Jul./Set. 2003.

CASAGRANDE, Marcelo. Atividade Física na Terceira Idade. Bauru: UNESP, 2006. 59 p. Monografia (Trabalho de Graduação do Curso de Licenciatura Plena em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2006.

DIAS-DA-COSTA, Juvenal Soares; HALLAL, Pedro Curi; WELLS, Jonathan Charles Kingdon et al. Epidemiology of leisure-time physical activity: a population-based study in southern Brazil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 275-282, Jan./Feb. 2005.

DUDA, Joan L.; TAPPE, Marlene K. Personal investment in exercise among middle-aged and older adults. In: OSTROW, Andrew C. Aging and Motor Behaviour. Indianápolis: Benchmark Press, 1989, p. 219–238.

FREITAS, Clara Maria Silvestre Monteiro de; SANTIAGO, Marcela de Souza; VIANA, Ana Tereza et al. Aspectos motivacionais que influenciam a adesão e manutenção de idosos a programas de exercícios físicos. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 92-100, Mar. 2007.

FUGULIN, Bruna Falvo; ROSCHE, Suzete; RESENDE, Renata et al. Prática de Atividade Física e Autoimagem de Idosas. Ceres: Nutrição & Saúde, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 57-64, 2009.

GILL, Kathy; OVERDORF, Virginia. Incentives for exercise in younger and older women. Journal of Sport Behaviour, Mobile, v. 17, n. 2, p. 87-97, Jun. 1994.

GOMES, Kátia Virgínia; ZAZÁ, Daniela Coelho. Motivos de adesão a prática de atividade física em idosas. Revista Brasileira de Atividade Fisica e Saúde, Londrina, v. 14, n. 2, p. 132-138, 2009.

IBGE. População brasileira envelhece em ritmo acelerado. 2008. Disponível em: < http://saladeimprensa.ibge.gov.br/noticias?view=noticia&id=1&busca=1&idnoticia=1272%3Eacesso >. Acesso: 14 jul. 2011.

JOKL, Peter. The masters (50 years and older) tennis player. Journal of Medicine and Science in Tennis, Bennekom, v. 10, n. 2, p. 3, Aug. 2005.

MARKS, Bonita. Health benefits for veteran (senior) tennis players. British Journal of Sports Medicine, London, v. 40, n. 5, p. 469-476, May 2006.

MAZO, Giovana Zarpellon. Atividade Física e Qualidade de Vida de Mulheres Idosas. Porto: UP, 2003. Tese (Doutorado) - Universidade do Porto, Portugal, 2003.

MAZO, Giovana Zarpellon; CARDOSO, Fernando Luiz; AGUIAR, Daniela Lima de. Programa de Hidroginástica para idosos: motivação, auto-estima e auto-imagem. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 67-72, 2006.

MAZO, Giovana Zarpellon; MOTA, Jorge; GONÇALVES, Lúcia Hisako Takase et al. Nível de atividade física, condições de saúde e características sócio-demográficas de mulheres idosas brasileiras. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 5, n. 2, p. 202-212, Mai. 2005.

MOTA, Jorge; RIBEIRO, José Luis; CARVALHO, Joana; MATOS, Margarida Gaspar de. Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em programas regulares de atividade física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 219-225, Jul./Set. 2006.

MURRAY, Christopher; LOPEZ, Alan. The global burden of disease. Boston: Harvard University Press, 1996.

NELSON, Miriam E.; REJESKI, W. Jack; BLAIR, Steven N. et al. Physical Activity and Public Health in Older Adults: Recommendation from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Medicine & Science in Sports & Exercise, Madison, v. 39, n. 8, p. 1435-1445, Aug. 2007.

NIEMAN, David C. Exercício e Saúde. São Paulo: Manole, 1999.

PEREIRA, João Raimundo; OKUMA, Silene Sumire. O perfil dos ingressantes de um programa de educação física para idosos e os motivos da adesão inicial. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 319-34, Out./Dez. 2009.

PLUIM, Babette M.; STAAL, J. Bart; MARKS, Bonita L. et al. Health benefits of tennis. British Journal of Sports Medicine, London, v. 41, n. 11, p. 760-768, Nov. 2007.

QUINCOZES, Carla Gularte. Prática atual de natação entre indivíduos com prática passada na infância/adolescência de uma escola de natação de Pelotas. Pelotas: UFPel, 2010. Monografia (Especialização em Educação Física) - Escola Superior de Educação Física, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.

RAMAGE-MORIN, Pamela; SHIELDS, Margot; MARTEL, Laurent. Health-promoting factors and good health among Canadians in mid-to late life. Health Reports, Ottawa, v. 21, n. 3, p. 45-53, Jul. 2010.

RAUCHBACH, Rosemary. Atividade física para 3ª idade. Curitiba: Lovise, 1990.

SABA, Fábio Kalil. Aderência: à prática do exercício físico em academias. São Paulo: Manole, 2001.

SAFONS, Marisete Peralta; PEREIRA, Márcio de Moura. Princípios Metodológicos da Atividade Física para Idosos. Brasília: CREF7, 2007.

SANTIAGO, Leonéa Vitória. Os Valores Orientadores das Práticas Desportivas em Grupos Emergentes da Terceira Idade: um estudo sobre suas construções simbólicas. Porto: UP, 1999. Tese (Doutorado), Universidade de Porto, Portugal, 1999.

SANTOS, Susan Cotrim; KNIJNIK, Jorge Dorfman. Motivos de adesão à prática de atividade física na vida adulta intermediária I. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 23-34, 2006.

SHEPHARD, Roy J. Fitness and aging. In: BLAIS, C. Aging into the Twenty First Century. Ontario: Captus University Publications, 1991, p. 22-35.

SILVA, Rogério Teixeira da; COHEN, Moisés; MATSUMOTO, Marcelo Hide et al. Avaliação das lesões ortopédicas em tenistas amadores competitivos. Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo, v. 40, n. 5, p. 270-279, Mai. 2005.

TELES, Wander Almeida; SALVE, Mariângela Gagliardi Caro. Qualidade de vida através do tênis. Revista Movimento & Percepção, Espírito Santo de Pinhal, v. 4, n. 4/5, p. 28-39, Jan./Dez. 2004.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva. WHO. 2000. World Health Organization Technical report series 894.

______. Ageing and health: a global challenge for the 21st century. Geneva. WHO. 1999. World Health Report.

WOODS, Kathy; WOODS, Ron. Prática de tênis após os 50. As melhores estratégias, técnicas e equipamentos. Barueri: Manole, 2010.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2