AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM PROGRAMA LUDOMOTOR DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA MELHORA DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS

Alisson Padilha de Lima, Fabrício Bruno Cardoso

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar a eficácia de um programa ludomotor voltado para idosos que expressam corporalmente a dificuldade em executar com destreza, em termos de rapidez e coordenação, algumas atividades da vida diária que exijam de sua capacidade funcional. O universo deste estudo foi composto por 100 idosos de ambos os sexos com idade compreendida entre 72 e 75 anos, cadastrados no programa “Idoso Feliz” na cidade do Rio de Janeiro. Para a consecução do objetivo da pesquisa os participantes foram submetidos ao Protocolo de Habilidades Manuais (PHM), logo em seguida os participantes foram submetidos ao Teste de Coordenação (COO). Pode-se obter resultados significantes através das comparações do protocolo de habilidades manuais onde se apresentou um desempenho médio igual a 11,71 segundos no pré-teste e um desempenho de 10,60 segundos no pós-teste, já no teste de coordenação se obteve um escore médio de 11,29 segundos no pré-teste e um escore de 9,84 segundos no pós-teste, mostrando a eficiência da intervenção através do programa de exercício físico proposto a esses indivíduos. Dessa forma, pode-se afirmar a eficácia de um programa ludomotor de exercícios físicos na melhora da integração neuromotora do idoso em executar com destreza tarefas que exijam habilidades manuais e capacidades coordenativas, onde os mesmos obtiveram um feedback positivo da melhora dos seus índices de percepção de execução com êxito das tarefas impostas no transcorrer desse processo, levando-os a se beneficiar nas suas atividades da vida diária com ascensão da independência funcional.


Palavras-chave


Programa ludomotor. Capacidade funcional. Idosos.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREOTTI, Rosana Aparecida; OKUMA, Silene Surime. Validação de uma bateria de testes de atividades da vida diária para idosos fisicamente independentes. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 46- 66, Jan./Jun. 1999.

BRUIN, Ender D. et al. Quantification of everyday motor function in a geriatric population. Journal of Rehabilitation Research and Development, Washington, v. 44, n. 3, p. 417–428, May 2007.

COHEN-MANSFIELD, Jiska; MARX, Maury S.; GURALNIK, Jackson. M. Comparison of exercise models in an elderly population. Aging Clinical and Experimental Research, Milano, v. 18, n. 4, p. 312–319, Aug. 2006.

COHEN-MANSFIELD, Jiska; SHMOTKIN, Dov; GOLDBERG, Shira. Predictors of Longitudinal Changes in Older Adults’ Physical Activity Engagement. Journal of Aging and Physical Activity, Champaign, v. 18, n. 2, p. 141-157, Apr. 2010.

DIAS, Viviane Kawano; DUARTE, Priscila Sguassabia Ferreira. Idoso: níveis de coordenação motora sob prática de atividade física generalizada. Revista Digital, Buenos Aires, v. 10, n. 89, out. 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 mai. 2013.

DOMINGUES, Flávia Maria; SANTOS, Flávia Costa Pinto. Manejo da bola da ginástica rítmica como estímulo ao desenvolvimento da destreza de mãos e dedos e velocidade de mãos e braços em adultos e idosos. Movimentum, Ipatinga, v. 1, p. 1-11, Ago./Dez. 2006.

GALLAGHER, Nancy Ambrose et al. Neighborhood Factors Relevant for Walking in Older, Urban, African American Adults. Journal of Aging and Physical Activity, Champaign, v. 18, n. 1, p. 99-115, Jan. 2010.

LEE, Y. S.; LAFFREY, S. C. Predictors of physical activity in older adults with borderline hypertension. Nursing Research, Minneapolis, v. 55, n. 2, p. 110–120, Apr. 2006.

LIMA, Alisson Padilha de; DELGADO, Evaldo Inácio. A melhor idade do Brasil: aspectos biopsicossociais decorrentes do processo de envelhecimento, Ulbra e Movimento (REFUM), Ji-Paraná, v. 1, n. 2, p. 76-91, Set./Out. 2010.

LIMA, Alisson Padilha de et al. Uma avaliação da eficácia de um programa neuromotor de exercícios físicos para idosos. Brazilian Journal of Biomotricity, Nova Iguaçu, v. 5, n. 1, p. 26-33, Mar. 2011.

MATHEWS, Ana E. et al. Older Adults’ Perceived Physical Activity Enablers and Barriers: A Multicultural Perspective. Journal of Aging and Physical Activity, Champaign, v. 18, p.119-140, Apr. 2010.

MONTE, Aurinice Sampaio Irene et al. Ginástica recreativa: um paradigma para a coordenação motora do idoso. Fitness e performance Journal, Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, p. 232-235, Jun. 2006.

NICOLAI, Simone et al. Day-to-Day Variability of Physical Activity of Older Adults Living in the Community. Journal of Aging and Physical Activity, Champaign, v. 18, n. 1, p. 75-86, Jan. 2010.

OSNESS, Way H. et al. Functional Fitness Assessment for Adults Over 60 Years (A Field Based Assessment). Reston: American Alliance for Health, Physical Education, Recreation and Dance, 1990.

PHILLIPS, Edward M. et al. Interruption of Physical Activity Because of Illness in the Lifestyle Interventions and Independence for Elders Pilot Trial. Journal of Aging and Physical Activity, Champaign, v. 18, n. 1, p. 61-74, Jan. 2010.

SIVAN, Manoj; SAWYER, Ceinwen; BROWN, James. The role of exercise therapy in the secondary prevention of falls in elderly people. International Musculoskeletal Medicine, Leeds, v. 32, n. 4, p. 168-172, Dec. 2010.




Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2