DIFICULDADES AUDITIVAS PERCEBIDAS POR MORADORES LONGEVOS E NÃO LONGEVOS DE UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

Sabrina Braga dos Santos, Lyssandra Borba de Oliveira, Isabela Hoffmeister Menegotto, Angelo José Gonçalves Bós, Cristina Loureiro Chaves Soldera

Resumo


resumo

Objetivo: Estudar a diferença na percepção de restrição de participação auditiva (handicap auditivo) em indivíduos longevos (80 anos ou mais) e não longevos (menos de 80 anos), residentes em instituição de longa permanência para idosos (ILPI), avaliada pelo questionário The Hearing Handicap Inventory for the Ederly (HHIE). Métodos: Foi realizada a aplicação de um inventário sociodemográfico seguida da aplicação do questionário HHIE. Resultados: Participaram 100 indivíduos, com idades entre 59 e 104 anos, sendo 30 homens e 70 mulheres. A percepção de restrição de participação auditiva foi observada em algum grau em somente 44% dos participantes. Os longevos demonstraram possuir percepção de restrição de participação auditiva em maior número de situações diárias do que os indivíduos não longevos. As questões referentes a situações sociais demonstraram maior chance de interferir de maneira significativa na percepção de restrição de participação auditiva do indivíduo longevo, do que as emocionais. Conclusão: A maioria dos indivíduos não apresentou percepção de restrição de participação auditiva, sendo a mesma mais frequente em indivíduos longevos. Os indivíduos longevos têm maior chance de perceber restrição de participação auditiva decorrente de situações sociais, do que emocionais. O contrário, sendo verdadeiro para indivíduos não longevos. Foram observadas queixas significativas de dificuldades auditivas no cotidiano dos indivíduos institucionalizados, que dificilmente seriam verificadas em avaliações de saúde rotineiras, e que podem resultar em dificuldades de inserção do indivíduo institucionalizado em seu meio social, sugerindo que o questionário HHIE seja incluído na avaliação clínica dos idosos residentes em ILPI.

 

palavras-chave

Transtornos da audição. Saúde do Idoso Institucionalizado. Perda Auditiva. Envelhecimento. Audição. Presbiacusia.

 

abstract

Objective: To study the differences in perceived hearing handicap between oldest-old (80 years or older) and non-oldest-old individuals (less than 80 years-old) residing in a long-stay institution for the elderly through the application of The Hearing Handicap Inventory for the Ederly (HHIE). Methods: Both groups answered a questionnaire assessing socio and demographic status, followed by the HHIE. Results: We interviewed 100 individuals aged between 59 and 104 years old, 30 men and 70 women. Forty-four percent of the participants had some degree of perceived hearing handicap.  Oldest-old individuals showed perceived hearing handicap in a larger number of daily situations than non-oldest-old individuals. Issues relating to social situations demonstrated a greater chance to interfere significantly in perceived hearing handicap in oldest-old individuals than the emotional ones. Conclusion: Most subjects had not perceived hearing handicap. However, the presence of this perception occurs more frequently in oldest-old individuals. The long-lived individuals are more likely to perceive auditory participation restrictions resulting from social situations than result in emotional situations, the opposite being true for younger individuals. We observed significant complaints about the difficulties of hearing in the daily source of institutionalized individuals which were unlikely to be detected in routine health assessments and may result in integration difficulties of institutionalized individuals in their social environment. The finds suggest that HHIE should be included in a health assessment of the institutionalized elderly.

 

keywords

Hearing Disorders. Health of Institutionalized Elderly. Hearing Loss. Aging. Hearing. Presbycusis.


Palavras-chave


transtornos da audição; saúde do idoso institucionalizado; perda auditiva; envelhecimento; audição; presbiacusia.

Texto completo:

PDF


Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. ISSN: 1517-2473 (impresso) e 2316-2171 (eletrônico)
Qualis Capes 2016, área interdisciplinar: B2