Documentação e iconização do efêmero: arte contemporânea e intervenção urbana

Thiago Spíndola Motta Fernandes

Resumo


O artigo discute o estatuto da documentação do efêmero na arte contemporânea, e em particular na intervenção urbana, considerando mais do que o caráter indicial da imagem documental, mas seu valor como ícone. Trabalhos artísticos efêmeros realizados na ausência de um público - devido a seu caráter clandestino ou à sua localização - têm sua visibilidade mediada pelas imagens técnicas, diluindo, portanto, as fronteiras entre obra e documentação. A imagem, operando como presença de uma ausência, atua no elo entre uma experiência perdida e o público, uma economia que culmina em ganhos e perdas.


Palavras-chave


imagem; documentação; ícone; intervenção urbana; arte contemporânea

Texto completo:

PDF

Referências


AUSLANDER, Philip. A Performatividade da Documentação de Performance. In: eRevista Performatus, Inhumas, ano 2, n. 7, 2013. Disponível em: . Acesso: 25/06/2018.

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BELTING, Hans. Por uma antropologia da imagem. In: Concinnitas, Revista do Instituto de Artes da UERJ, Rio de Janeiro, n. 8, pp. 64-78, 2005.

BELTING, Hans. Imagem, Mídia e Corpo: uma nova abordagem à iconologia. In: Ghrebh, Revista de Comunicação, Cultura e Teoria da Mídia, São Paulo, n. 8, pp. 32-60, 2006.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: CAPISTRANO, Tadeu (org.). Benjamin e a obra de arte: técnica, imagem e percepção. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

COSTA, Luiz Cláudio da. Registro e arquivo na arte: disponibilidade, modos e transferências fantasmáticas de escrituras. In: 17° Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas: Panorama da Pesquisa em Artes Visuais Florianópolis, 2008. Anais do 17º Encontro Nacional da ANPAP. Florianópolis: UDESC, pp. 388-397, 2008.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante da imagem: a questão colocada aos fins de uma história da arte. São Paulo: Editora 34, 2013.

DUBOIS, Phillippe. O ato fotográfico e outros ensaios. Campinas: Papirus, 1993.

FREIRE, Cristina. Poéticas do processo: arte conceitual no museu. São Paulo: Iluminuras, 1999.

JAMESON, Fredric. The aesthetics of singularity. In: New Left Review, n. 92, pp. 101-132, 2015.

KOSSOY, Boris. Realidades e ficções na trama fotográfica. Cotia: Ateliê Editorial, 1999.

KRACAUER, Siegfried. O ornamento da massa. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

MELIM, Regina. A fotografia como documento primário e performance nas artes visuais. In: Crítica Cultural, n. 2, Santa Catarina, 2008. Disponível em: . Acesso: 18/10/2018.

MONDZAIN, Marie-José. Imagem, ícone, economia: as fontes bizantinas do imaginário contemporâneo. Rio de Janeiro: Contraponto: Museu de Arte do Rio, 2013.

MONDZAIN, Marie-José. Imagem, sujeito, poder. In: Outra Travessia: Revista de Literatura do PPGL/UFSC, Florianópolis, n. 22, pp. 175-192, 2016.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SILVA, Ana Emília Costa. O amálgama: especulação acerca da proposta colaborativa “Atrocidades Maravilhosas”. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais). Rio de Janeiro: UERJ, 2014.

VOGLER, Alexandre. Atrocidades Maravilhosas: ação independente de arte no contexto público. In: Arte & Ensaios, Revista da Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes/UFRJ, Rio de Janeiro, n. 8, 2001.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.95329

Direitos autorais 2019 Thiago Spíndola Motta Fernandes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo