A entrevista com artistas como dispositivo de embate e a disputa discursiva dos anos 1960 e 1970

Juliana Gisi Martins de Almeida

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão sobre a entrevista com artistas como dispositivo de embate na interação de dois sujeitos, tendo em vista que o desejo por apreender trabalhos de arte por suas diversas vias, torna a palavra do artista objeto privilegiado. Algo que pode ser vislumbrado pela compreensão do contexto dos anos 1960/70 quando uma disputa discursiva no campo da arte se dá pela reivindicação dos artistas pelos espaços de fala. A palavra do artista não é uma verdade sobre o trabalho, pois tão determinada histórica, social e culturalmente como ele; assim, a entrevista pode ser compreendida como um mecanismo que abre a produção de sentido e a expande no cruzamento das visões interna e externa de uma prática artística.

Palavras-chave


Entrevista com artistas. Anos 1960 e 1970. Dispositivo de embate. Produção de sentido. Disputa discursiva.

Texto completo:

PDF-PT

Referências


ALBERRO, Alexander; NORVELL, Patricia [Eds.]. Recording Conceptual Art – early interviews with Barry, Huebler, Kaltenbach, LeWitt, Morris, Oppenheim, Siegelaub, Smithson, Weiner by Patricia Norvell. California: University of California Press, 2001.

ALBERRO, Alexander; STIMSON, Blake. Conceptual Art: a critical anthology. London, England: The MIT Press, 1999.

CAMPANY, David. Art and Photography. London; New York: Phaidon Press, 2008.

CHIPP, H. B.. Teorias da Arte Moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

HARRISON, Charles; WOOD, Paul. Art in Theory 1900-1990: an anthology of changing ideas. Oxford; Massachusetts: Blackwell Publishers Ltd., 1993.

DUCHAMP, Marcel. O Ato Criador, 1957. In: BATTCOCK, Gregory. A nova Arte. São Paulo: Editora Perspectiva S.A., 1975, p. 72.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? In: MOTTA, Manoel Barros da. (Org.). Michel Foucault. Coleção Ditos e Escritos III – Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. 2a Edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

GISI, Juliana (Juliana Gisi Martins de Almeida). Fotografia e Práticas Artísticas: os discursos dos artistas nos anos 1960 e 1970. Tese (Doutorado em Artes Visuais). Instituto De Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

GISI, Juliana (Juliana Gisi Martins de Almeida). 60/70: as fotografias, os artistas e seus discursos. Curitiba: Juliana Gisi Martins de Almeida, 2015.

LIPPARD, Lucy R.. Six years: the dematerialization of the art object from 1966 to 1972... California: University of California Press, 2001.

OBRIST, Hans Ulrich. Interviews. Vol. 1. Milan: Edizioni Charta, 2003.

OSBORNE, Peter. Conceptual Art. Themes and movements. London: Phaidon Press Limited, 2005.

STILES, Kristine; SELZ, Peter (Eds.) Theories and Documents of Contemporary Art: a sourcebook of artists’ writings. Berkeley; Los Angeles; London: University of California Press, 1996.

STIEGLITZ, Alfred. Camera Work: the complete illustrations 1903-1917. Köln: Benedikt Taschen Verlag GmbH, 1997.

VASARI, Giorgio. Vidas dos Artistas. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

WERNER, Alfred. Artists Who Write. In: Art Journal, Vol. 24, No 4 (Summer, 1965), p. 342-347. College Art Association. Disponível em http://www.jstor.org/stable/774811 acesso 08/11/2012




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.80134

Direitos autorais 2017 Juliana Gisi Martins de Almeida

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo