Estranha beleza e a beleza do estranho

Tania Galli Fonseca

Resumo


Procuramos traçar algumas notas a respeito do percurso do artista Luiz Gonzaga, desde nossa recepção à exposição de suas obras no evento Percurso do Artista realizado em 2014. Buscamos associar vida e obra sem a preocupação de coletar dados biográficos detalhados e cronológicos, mais ao modo de um biografema, como nos diz Barthes, uma vez que dificilmente a biografia de um homem poderá vir a ser totalmente apreendida. O percurso do artista revela-se como sua pulsão criadora e narrativa, destaca-se como expressão do fracasso de suas realizações, uma vez que, mesmo satisfeito com sua última realização ele se vê compelido a dizer mais uma vez, a buscar em suas inquietações respostas que sabe serão sempre incompletas aos silêncios que povoam a si e ao mundo. Dizer uma vida de artista seria afirmar, assim, esse amor ao estranho por ele alimentado e que finda por se tornar seu próprio alimento.

Palavras-chave


Luiz Gonzaga; Vida e Obra de arte.

Texto completo:

PDF

Referências


BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

GONZAGA, Luiz. Seminal. Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli/ Secretaria da Cultura/RS. 2002.

KAFKA, Franz. A metarmofose. São Paulo: Hedra, 2009.

PROUST, Marcel. Em busca do tempo perdido. O tempo redescoberto. São Paulo: Globo, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.76987

Direitos autorais 2017 Tania Galli Fonseca

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo