Montagem, fotografia, espelho: Waldemar Cordeiro depois do concretismo

Annateresa Fabris

Resumo


Em busca de novas possibilidades para o concretismo, Cordeiro interessa-se pelo “realismo brutal” da paisagem urbana, na qual detecta um princípio criativo enraizado no processo dialético da montagem. Os popcretos resultantes desse novo momento (1964-1965) caracterizam-se, não raro, pelo uso de imagens fotográficas, apresentadas como operações retóricas e ideológicas. Usada também em obras posteriores, a fotografia transforma-se num instrumento de contestação das ideias tradicionais sobre arte, tendo como horizonte as transformações advindas da presença dos meios de comunicação de massa.

Palavras-chave


Fotografia. Montagem. Waldemar Cordeiro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.73710

Direitos autorais 2017 Porto Arte



PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ