Montagem, fotografia, espelho: Waldemar Cordeiro depois do concretismo

Annateresa Fabris

Resumo


Em busca de novas possibilidades para o concretismo, Cordeiro interessa-se pelo “realismo brutal” da paisagem urbana, na qual detecta um princípio criativo enraizado no processo dialético da montagem. Os popcretos resultantes desse novo momento (1964-1965) caracterizam-se, não raro, pelo uso de imagens fotográficas, apresentadas como operações retóricas e ideológicas. Usada também em obras posteriores, a fotografia transforma-se num instrumento de contestação das ideias tradicionais sobre arte, tendo como horizonte as transformações advindas da presença dos meios de comunicação de massa.

Palavras-chave


Fotografia. Montagem. Waldemar Cordeiro.

Texto completo:

PDF-PT

Referências


Alloway, Lawrence. The Venice Biennale 1895-1968: from salon to goldfish bowl. London: Faber and Faber, 1969.

ARGAN, Giulio Carlo. Itália. In: VII Bienal de São Paulo: catálogo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1963, p. 288-289.

BOLTANSKI, Luc. La retórica de la figura. In: BOURDIEU, Pierre (org.). La fotografia: un arte intermedio. México: Editorial Nueva Imagen, 1979, p. 185-212.

BOATTO, Alberto. Pistoletto: dentro/fuori lo specchio. Roma: Fantini Editrice, 1969.

CAMPOS, Augusto de. Waldemar Cordeiro: pontos de partida e de chegada. In: Poesia antipoesia antropofagia & cia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015, p. 278-286.

CORDEIRO, Waldemar. Arte concreta semântica. In: Waldemar Cordeiro. São Paulo: Galeria Atrium, 1964b, s.p.

CORDEIRO, Waldemar. VII Bienal: “Nova Figuração” denuncia a alienação do indivíduo. In: AMARAL, Aracy (org.). Waldemar Cordeiro: uma aventura da razão. São Paulo: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1986a, p. 119.

CORDEIRO, Waldemar. Novas tendências. In: AMARAL, Aracy (org.). Waldemar Cordeiro: uma aventura da razão. São Paulo: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1986b, p. 123-124.

CORDEIRO, Waldemar. Novas tendências e nova figuração. Habitat, São Paulo, n. 77, maio-jun. 1964a, p. 56.

CORDEIRO, Waldemar. Realismo: “musa da vingança e da tristeza”. In: AMARAL, Aracy (org.). Waldemar Cordeiro: uma aventura da razão. São Paulo: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1986c, p. 129-132.

CORDEIRO, Waldemar. Realismo ao nível da cultura de massa. In: AMARAL, Aracy (org.). Waldemar Cordeiro: uma aventura da razão. São Paulo: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1986d, p. 142-143.

COSTA, Helouise. Waldemar Cordeiro e a fotografia. São Paulo: Cosac & Naify/Centro Universitário Maria Antonia da USP, 2002.

D’AUTILIA, Gabriele. L’indizio e la prova: la storia nella fotografia. Milano: La Nuova Italia, 2001.

ECO, Umberto. Opera aperta. Milano: Bompiani, 1967.

ECO, Umberto. El problema de la obra abierta. In: La definición del arte. Barcelona: Ediciones Martínez Roca, 1970, p. 157-164.

FAGIOLO DELL’ARCO, Maurizio. Rapporto 60: le arti oggi in Italia. Roma: Bulzoni, 1966.

FERRAZ, Geraldo. Entre o “Baboeil” e a “arte de arte”. O Estado de S. Paulo, 19 dez. 1964.

FRANCO, Ceres. Opinião 65. In: PERLINGEIRO, Max (org.). Opinião 65: 50 anos depois. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 2015, p. 49-51.

Gosto não se discute (você conhece a Pop art?). Casa e Jardim, São Paulo, n. 123, abr. 1965, p. 50.

GREENBERG, Clement. After abstract expressionism. In: The collected essays and criticism. Chicago: Chicago University Press, 1995, v. 4, p. 121-134.

Instituto Di Tella. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2015.

Instituto Torcuato Di Tella – Universidad Torcuato Di Tella. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2015.

JAYME MAURÍCIO. Cordeiro e o Popcreto. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 10 jan. 1965.

JAYME MAURÍCIO. A pauliceia vanguardista: Popcreto. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1 jan. 1965.

LONGONI, Ana. Oscar Masotta: vanguardia y revolución en los años sesenta (2005, p. 1-35). Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2015.

MACHADO, Arlindo. A ilusão especular: introdução à fotografia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MARCHÁN FIZ, Simón. Del arte objetual al arte de concepto (1960-1974). Madrid: Ediciones Akal, 1997.

Marta Minujin: “Todo es arte, arte, arte, arte”. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2015.

MASOTTA, Oscar. El “pop-art”. Buenos Aires: Editorial Columba, 1967.

MAURIZI, Elverio. Pop art e ricerca oggettuale a Roma negli anni sessanta. Macerata: Coopedit Macerata, 1981.

MIDDLETON. Michael. Eduardo Paolozzi. In: VII Bienal de São Paulo: catálogo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1963, p. 240-242.

MONAHAN, Laurie Jean. The new frontier goes to Venice: Robert Rauschenberg and the XXXII Venice Biennale. Vancouver: The University of British Columbia, 1985.

NUNES, Fabrício Vaz. Waldemar Cordeiro: da arte concreta ao “popcreto”. Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, 2004.

PECCININI, Daisy. Figurações: Brasil anos 60. São Paulo: Itaú Cultural/Edusp, 1999.

PERNA, Raffaella. In forma di fotografia: ricerche artistiche in Italia dal 1960 al 1970. Roma: DeriveApprodi, 2009.

Premio Nacional Internacional Instituto Torcuato Di Tella. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2015.

REIS, Paulo. Arte de vanguarda no Brasil: os anos 60. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

RESTANY, Pierre. Os novos realistas. Trad. Mary Amazonas Leite de Barros. São Paulo: Perspectiva, 1979.

RESTANY, Pierre. Verso l’arte del duemila. Le Arti, Milano, n. 10, out. 1966, p. 49-54.

ROUILLÉ, André. La photographie: entre document et art contemporain. Paris: Gallimard, 2005.

SARTRE, Jean-Paul. L’imaginaire: psychologie phénoménologique de l’imagination. Paris: Gallimard, 1940.

SOUZA, Thana Mara. Ética e estética no pensamento de Sartre. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2014.

STOICHITA, Victor I. L’instauration du tableau. Genève: Librairie Droz, 1999.

STOICHITA, Victor I. A short history of the shadow. London: Reaktion Books, 2011.

VETTESE, Angela. Rotella e il cinema. Milano: Skira, 2002.

VIEIRA, José Geraldo. O dilema figuração-abstração. In: Crítica de arte na revista Habitat. São Paulo: Edusp, 2012, pp. 87-97.

ZATTI, Susanna. Il pop art e l’Italia. In: BOSSAGLIA, Rossana; ZATTI, Susanna. Il pop art e l’Italia. Milano: Mazzotta, 1983, p. 13-22.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.73710

Direitos autorais 2017 Annateresa Fabris

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo