Na "poiesis" de Valéry, a vertigem do dígito, a memória e o esquecimento

Eduardo Vieira da Cunha

Resumo


O artigo apresenta um paralelo entre os processos de instauração da obra de arte, baseado na poiesis de Paul Valéry, e tenta estabelecer um paralelo entre o modelo digital de decomposição e desdobramento da imagem digital e as tramas de elementos simultâneos que acontecem no processo de realização da obra. Busca, na dialética entre memória e esquecimento, brechas e hiatos para tratar de um processo de mutação artística.

Palavras-chave


Memória. Esquecimento. Fotografia. Imagem digital.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.43749

Direitos autorais



PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ