Sonhar juntos para não naufragar

Edson Luiz André de Sousa

Resumo


Resumo

Este texto interroga a função da arte como linguagem para dar conta de experiências traumáticas, de destruição e de luto. O ponto de partida da reflexão é romance de Ray Bradbury intitulado “Fahrenheit 451”, onde vemos tanto a  fúria das estratégias de destruição mas ao mesmo tempo a capacidade de resistência diante destas violências. O ensaio aborda  a obra de alguns artistas contemporâneos que transitam por esta questão como Elida Tessler, Gary Hill,  Nuno Ramos, Doris Salcedo.


Abstract

This text questions the role of art as a language to face traumatic experiences, destruction and mourning. The starting point for this reflection is a novel by Ray Bradbury entitled “Fahrenheit 451”, where we see both the fury of the strategies of destruction and, at the same time, the capacity to resist these violences. The essay addresses the work of some contemporary artists who are involved in this issue, such as Elida Tessler, Gary Hill, Nuno Ramos, Doris Salcedo.



Palavras-chave


Trauma. Linguagem. Fahrenheit 451. Luto. Arte contemporânea

Texto completo:

PDF

Referências


Ensaio.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.116030

Direitos autorais 2021 Edson Luiz André de Sousa

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo