Testemunho: entre a oralidade e a visualidade

Tiago da Silva Coelho

Resumo


O presente artigo apresenta uma discussão sobre a importância do testemunho visual, tendo por base a querela iniciada com a exposição Memória dos campos. Fotografias dos campos de concentração e extermínio nazistas de 1933-1999”, apresentada em Paris em janeiro de 2001. As reflexões propostas aqui têm por objetivo discutir as diferentes perspectivas e abordagens sobre os testemunhos como processo de ressignificação do trauma, de modo a ressaltar as disputas entre os processos de depoimentos orais e produções pictóricas.

 

Abstract

This article presents a discussion on the importance of visual testimony, based on the dispute that started with the exhibition “Memoir of the Camps. Photographs of Nazi concentration and extermination camps, 1933-1999”, presented in Paris in January 2001. The reflections proposed here aim to discuss the different perspectives and approaches on the testimonies as a process of resignification of trauma, in order to emphasize the disputes between the processes of oral statements and pictorial productions.


Palavras-chave


Testemunho. Oralidade. Visualidade. Trauma.

Texto completo:

PDF

Referências


BURKE, Peter. Testemunha ocular: o uso de imagens como evidência histórica. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

DANZIGER, Leila. Shoah ou Holocausto: a aporia dos nomes. Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG. Belo Horizonte, v. 1, n. 1, out. 2007. Disponível em: . Acesso em: 7 mar. 2020.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. Lisboa. KKYM, Imago, 2012.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Remontagens do tempo sofrido. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2018.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. São Paulo: Editora 34, 2020.

FABRIS, Annateresa. Abjeção e segredo:5 a fotografia como testemunho e ficção. Ide (São Paulo), São Paulo, v. 38, n. 60, p. 99-112, dez. 2015 .

Disponível em . acessos em 10 jul. 2019.

JABLONKA, Ivan. La historia es una literatura contemporánea: manifiesto por las ciencias sociales. Buenos Aires: FCE, 2016.

JELIN, Elizabeth. La lucha por el pasado: como construimos la memoria social. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Siglo XXI Editores Argentina, 2018.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto : Ed. PUC-Rio, 2006.

LA CAPRA, Dominick. La historia y sus limites. Barcelona: Bellaterra, 2016.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

RICOEUR, Paul. A memória, a história e o esquecimento. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

ROBIN, Régine. A memória saturada. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2016.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.108840

Direitos autorais 2021 Tiago da Silva Coelho

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo