Da Perfectibilidade Negativa ao Ato Artístico em Czelawa Kwoka

Rafael Tassi Teixeira

Resumo


Este trabalho procura ampliar discussões anteriores sobre a construção da potência do retrato fotográfico e a apresentação do gesto da arte no trabalho de colorização da artista Marina Amaral, a partir de uma fotografia icônica realizada por Wilhem Brasse, fotógrafo prisioneiro em Auschwitz que realizou mais de 45.000 fotos em estilo de identificação, durante os anos de 1940-1944, e a reverberação da foto em arte (pintura, desenhos, arte gráfica). A foto, da menina Czelawa Kwoka, produzida por Brasse em 1943, marca uma iconicidade da memória sobre o inominável e a carga imaginária e visual sobre a Shoah. O objetivo geral do trabalho é pensar fotografias históricas e formas artísticas, utilizando como principal metodologia a análise de transcrição visual, cotejando conceitos, entre outros, como ‘rosticidade’ (Lévinas), ‘narração do trauma’ (Seligman-Silva), representação, arte e catástrofe (Hartman). Como resultado final, é possível observar que a gestualidade artística promove uma singularização da imagem, e uma nova narratividade visual que clama pela sobrevivência da rememoração.

 

Abstract

This work seekes to broaden previous discussions about the construction of the power of the photographic portrair and the presentation of the gesture of art in the work of colorization by the artist Marina Amaral, from na iconic photography by Wilhem Brasse, prisoner photographer in Auschwitz who took more tan 45.000 photos in identification style, during the years 1940-1944, and the reverberation oh the photo in art (painting, drawings, graphic art). The photo, of the girl Czelawa Kwoka, produced by Brasse in 1943, marks na iconicity of memory on the nameless and the imaginary and visual charge on Shoah. The general objective of the work is to think about historical photographs and artistic forms, using as main methodology the analysis of visual transcription, comparing concepts, among others, such as 'rosticity' (Lévinas), 'trauma narration' (Seligman-Silva), representation, art and catastrophe (Hartman). As final result, it is possible to observe that artistic gestures promote a singularization of the image, and a new visual narrativity that calls for the survival of recollection.


Palavras-chave


Fotografia. Memória. Arte e Trauma. Arte e Holocausto. Faces of Auschwitz.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que Resta de Auschwitz (Homo Sacer III). São Paulo: Boitempo, 2008.

AMARAL, M. & JONES, D. The Colour of Time. A New History of the World 1850-1960. London: Apollo, 2018.

AZOULAY, Ariella. The Civil Contract of Photography. New York: Zone Books, 2008.

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas, v. I: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DE DUVE, Thierry. A arte diante do mal radical. Ars, v. 7, n. 13, 2009. Disponível em:

. Acesso em: 11 jun. 2020.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Phasmes: Essais sur l´Apparition. Paris: Minuit, 1998.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imágenes Pese a Todo: Memoria Visual del Holocausto. Barcelona: Espasa, 2012.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Devolver uma imagem. In: ALLOA, Emanuel (org). Pensar a imagem. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Olhos livres da história. Revista Ícone, v. 16, n. 2, 2018. Disponível em:. Acesso em: 23 jun. 2020.

EDWARDS, Teresa; SCHREINER, Lori. Painting Czesława Kwoka: honoring children of the Holocaust. Englewood: Unbound. Content, 2012.

ENGELMANN, Reiner. Der Fotograf Von Auschwitz. Berlin: CBT, 2015.

FELMAN, Shoshana. O Inconsciente Jurídico: Julgamentos e Traumas no Século XX. São Paulo: Edipro, 2014.

HARTMAN, Geoffrey. Holocausto, Testemunho, Arte e Trauma, IN: SELIGMANN-SILVA, Márcio. Catástrofe e Representação. São Paulo: Escuta, 2000.

HILBERG, Raul. La politique de la mémoire. Paris: Gallimard, 1996.

HIRSH, Marianne. The Generation of Postmemory. Writing and Visual Culture After the Holocaust. Columbia University Press, 2012.

LE BRETON, David. Rostos. Petrópolis: Vozes, 2018.

LEVI, Primo. Os afogados e os sobreviventes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

LÉVINAS, Emmanuel. Entre Nous: thinking of the other. Nova York: Columbia University Press, 1998.

SANTOS, Ana Carolina Lima; TEIXEIRA, Rafael Tassi. Do passado ao presente, do preto e branco à cor: restituições da memória de Auschwitz. E-Compós, 2020a. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2020.

SANTOS, Ana Carolina Lima; TEIXEIRA, Rafael Tassi. Do passado ao presente, do preto e branco à cor: restituições da memória de Auschwitz. Revista Interin, 2020b. Disponível em:

SANCHEZ-BIOSCA, Vicente. “¿Qué Espera de mí esa Foto¿ La Perpetrator Image de Bophana y su Contracampo. Iconografías del Genocídio Camboyano”. Revista Aniki. Vol. 2, n. 2. 2015.

______. Miradas Criminales, Ojos de Víctima: Imágenes de la Aflicción en Camboya. Buenos Aires: Prometeo, 2017.

SELIGMAN-SILVA, Márcio. Narrar o Trauma: Escrituras Híbridas da Memória do Século XX. IN: CASA NOVA, Vera e MAIA, Andréa (org.). Ética e Imagem. Belo Horizonte: CArte, 2010.

SELIGMAN-SILVA, Márcio. Catástrofe e Representação. São Paulo: Escuta, 2000.

SONTAG, Susan. Diante da Dor dos Outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

STRUK, Janina. Photographing the Holocaust. London: I.B. Tauris, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.108691

Direitos autorais 2021 Rafael Tassi Teixeira

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo