A Gestão Autônoma da Medicação e o Exercício do Cuidado

Joyce Paula de Souza Pereira Ferreira, Luciana Vieira Caliman Vieira Caliman, Janaína Mariano César

Resumo


Este artigo foi construído a partir das análises produzidas na Pesquisa Intervenção que se realizou em interface com o projeto brasileiro da Estratégia da Gestão Autônoma da Medicação (GAM), especificamente em Vitória (Espírito Santo) em um Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi). Esta escrita enuncia um desdobramento da GAM em sua experiência inédita com Grupo de Intervenção com Familiares (GIFs) de crianças e adolescentes. A GAM tem contribuído para a efetivação das políticas públicas de saúde, como um exercício de ampliação de possibilidades de cuidado, disparando processos de autonomia e protagonismo, democratização nos serviços de saúde, criando e sustentando formas de tratamento coletivamente. Percebemos os efeitos da GAM quando produzem interferência nos processos de gestão, reconfigurando as relações entre usuários, familiares, profissionais e também pesquisadores. São efeitos mapeáveis pela reciprocidade, interdependência, confiança e reposicionamento no cuidado de si e do outro.


Palavras-chave


cuidado; grupo; familiares

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEM, G. O que é um dispositivo? Outra travessia, Florianópolis, n. 5, p. 9-16, jan. 2005.

BARROS, L. M. R. A análise em uma pesquisa-intervenção participativa: o caso da gestão autônoma da medicação. Tese (doutorado) – Universidade Federal Fluminense Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Psicologia. Orientador: Prof. Dr. Eduardo Henrique Passos Pereira. 2015, 323 f.

CALIMAN, L. V & DOMITROVIC, N. Uma análise da dispensa pública do metilfenidato no Brasil: o caso do Espírito Santo. Physis (UERJ. Impresso), v. 23, p. 879-902, 2013.

CALIMAN, L. V. & PIROVANI, P. H. A experiência do uso de metilfenidato em adultos diagnosticados com TDAH. Psicologia em Estudo (Online), 2014.

CAMPOS, R. T. O., PASSOS, E., PALOMBINI, A. et al. GESTÃO AUTÔNOMA DA MEDICAÇÃO – Guia de Apoio a Moderadores. DSC/FCM/UNICAMP; AFLORE; DP/UFF; DP/URGS, 2014. Disponível em: http://www.fcm.unicamp.br/fcm/laboratorio-saude-coletiva-e-saude-mental-interfaces

COUTO, M. C. V. Política de Saúde Mental para crianças e adolescentes: especificidades e desafios da experiência brasileira (2001-2010). Rio de Janeiro: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPUB-UFRJ), 2012. 178 f.

DE OLIVEIRA, R. C. A chegada de crianças e adolescentes para tratamento na rede pública de saúde mental. In: COUTO, M. C. V. & MARTINEZ, R. G. (orgs.). Saúde Mental e Saúde Pública: questões para a agenda da Reforma Psiquiátrica. NUPPSAM/IPUB/UFRJ, Rio de Janeiro, 2007, 160p.

DELEUZE, G. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. – São Paulo: Editora 34, 2013 (3ª Edição). 240p. (Coleção TRANS)

DELEUZE, G. Que és un dispositivo? In: Michel Foucault, filósofo. Barcelona: Gedisa, 1990, pp. 155-161. Tradução de Wanderson Flor do Nascimento.

DOMITROVIC, N. As Práticas Farmacológicas com o Metilfenidato: habitando fronteiras entre o acesso e o excesso. – 2014. Dissertação (Mestrado em Psicologia Institucional). Orientador: Luciana Vieira Caliman. – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais.

ESCÓSSIA, L. & TEDESCO, S. O coletivo de forças como plano de experiência cartográfica. In: Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Org. Eduardo Passos, Virgínia Kastrup e Liliana da Escóssia. - Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 92-108

FOUCAULT, M. O poder, uma besta magnífica. In: FOUCAULT, M. Repensar a política: Ditos & escritos VI. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. p. 155-169.

GUARIDO, R. A medicalização do sofrimento psíquico: considerações sobre o discurso psiquiátrico e seus efeitos na Educação. In: Educação e Pesquisa, São Paulo, v.33, n.1, p. 151-161, jan./abr. 2007.

MELO, J. M. A política de narratividade entre a pesquisa e a clínica: relato de uma experiência com a Gestão Autônoma da Medicação. Tese (doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Psicologia. Orientador: Prof. Dr. Eduardo Henrique Passos Pereira 2015, 172 f.

ONOCKO CAMPOS, R.T. et al. Adaptação Multicêntrica do Guia para a Gestão Autônoma da Medicação. In: Revista Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Vol.16, Nº 43, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v16n43/aop4412.pdf

ONOCKO-CAMPOS, R. T. et al. A Gestão Autônoma da Medicação: uma intervenção analisadora de serviços em saúde mental. (2013) Ciência & Saúde Coletiva. 18(10): 2889-2898 ISSN: 1413-8123

PASSOS, E. & EIRADO, A. Cartografia como dissolução do ponto de vista do observador. In: Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Org. Eduardo Passos, Virgínia Kastrup e Liliana da Escóssia. - Porto Alegre: Sulina, 2009. pp. 109-130

RAMOS, J. F. C. A autonomia como um problema: uma pesquisa a partir da realização do dispositivo GAM em um CAPS fluminense. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Psicologia, 2012. 119 f.

REVEL, J. Michel Foucault: conceitos essenciais. Tradução Maria do Rosário Gregolin, Nilton Milanez, Carlo Piovesani. - São Carlos : Claraluz, 2005. 96 p.

RODRIGUES, S. E. Modulações de sentidos na experiência psicotrópica – Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Psicologia, 2014, 253 f.

SANTOS, P. A. C. ; SOUZA, A. V. M. ; SANTOS V. S. O Conceito de Implicação em Práticas da Análise Institucional Contemporânea. V Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. São Cristóvão-SE/Brasil. 2011. ISSN 1982-3657.




DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.97830

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X