O signo da nossa paixão / The sign of our passion

Eduardo Pellejero

Resumo


Resumo

Tendemos a confundir o urgente com o improrrogável, mas o improrrogável não é da ordem das tarefas feitas ou por fazer, por muito urgentes que sejam. O improrrogável, de fato, não admite sequer a sua mediação pelo projeto. Mesmo na confusão das batalhas nas quais nos vemos involucrados como atores da nossa própria história, quando qualquer coisa que não contribua para a obra humana parece poder esperar, faz ouvir a sua voz. Exige uma consumação imediata, uma entrega total e cega. A literatura, a arte e a filosofia, constituem formas privilegiadas do improrrogável. O presente ensaio pretende explorá-las, a partir de alguns exemplos significativos, em ordem a mostrar o modo em que constituem o signo de uma paixão capaz de nos tornar ingovernáveis.

Palavras-chave: Improrrogável; Paixão; Literatura; Arte; Resistência.

 

Abstract

We tend to confuse the urgent with the undeferrable, but the undeferrable does not belong to the order of the tasks, no matter how urgent they could be. The undeferrable, in fact, does not admit the mediation of the projects. Even in the confusion of the battles we fight as actors of our own history, it raise its voice. It demands an immediate consummation. Literature, art and philosophy, constitute privileged forms of the udeferrable. This essay aims to explore them, through the exam of some revealing cases, in order to show the way they constitute the sign of a passion able to make us ungovernable subjects.

Keywords: Undeferrable; Passion; Literature; Art; Resistance.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.71870

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X